Guia Gessulli
05-Ago-2019 08:33
Sustentabilidade

Verdi e Siscobras serão únicas empresas brasileiras a construir presídios sustentáveis no país

Brasil passará a contar com tecnologia sustentável inédita na construção de presídios

Um marco no conceito de construção sustentável: este é o projeto “MEACS Brasil”, assinado pela Verdi e Siscobras, empresas brasileiras do setor de engenharia, e pelo IAB - Instituto Alemão de Pesquisa Aplicada à Construção. A partir do intercâmbio entre os países, o Brasil passará a contar com uma tecnologia sustentável inédita na construção de presídios - e também de outras estruturas: o sistema fotovoltaico translúcido. O anúncio foi feito no Brasil, em Porto Alegre/RS, pelos diretores da Verdi, engenheiros Carlos Deboni e Henrique Deboni, e pela arquiteta Carla Deboni, nesta terça-feira, 23 de julho.

Presídios com telhados transparentes e uso de energia solar são os principais diferenciais que o projeto propõe, por meio da passagem de 25% de luz solar e geração de 75% de energia. As chapas translúcidas são altamente resistentes, seja a ações de vandalismo ou granizo, por exemplo. Além de aliar alta tecnologia e sustentabilidade, a novidade está ligada ao benefício social de ter apenados em ambientes iluminados naturalmente, com ganhos em saúde física e mental. Ainda, os módulos construtivos saem com 75% de conclusão da fábrica, restando poucos processos para realização no local da obra.

“Concluímos hoje um intenso estudo e avançamos muito em nossa jornada de inovação, empregando tecnologia de ponta, com vocação ambiental e social. A qualidade de vida e a engenharia com foco nas pessoas sempre foram nossas bandeiras. Trabalhar incansavelmente para ter este projeto diante dos nossos olhos sempre foi nossa obstinação. Depois de mais de 100 presídios e mais de 40 obras de segurança pública, vamos iniciar outras 100 obras, desta vez totalmente sustentáveis”, declarou Deboni.

Com previsão de quatro anos para o retorno do investimento, as energias renováveis são responsáveis pela luz em 100% da demanda própria e ainda geram excedente, que pode ser redirecionado para companhias externas, tornando-se fonte de renda para os presídios. Além dos módulos prisionais, o sistema construtivo se aplica também na elaboração de escolas, hospitais e quaisquer outras estruturas em lugares com baixo nível de infraestrutura pública.

Redação
Deixe seu Recado