AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Energia renovável

Uso de fontes renováveis de energia pode crescer 60% até 2026

Relatório da Agência Internacional de Energia (IEA) foi divulgado na última quarta (1°)

Redação com informações de Tecmundo
08-Dez-2021 14:07

Um relatório da Agência Internacional de Energia (IEA) divulgado na última quarta (1°) prevê que a capacidade de geração de energia renovável no mundo vai aumentar em 60% nos próximos cinco anos, se comparado aos números do ano passado. A previsão ainda diz que 95% de todo o aumento global na capacidade de geração de energia até 2026 virá através de fontes renováveis.

Para a IEA, esse avanço significaria que a capacidade de energia renovável total em 2026 alcançará 4.800 gigawatts, o mesmo valor atualmente gerado pela combinação de combustíveis fosseis e energia nuclear.

As energias solar e eólica são citadas como as principais responsáveis por esse crescimento, que acontece mesmo em meio a uma alta nos seus custos de produção e instalação. O relatório estima que os custos para o investimento em energia solar e eólica aumentaram cerca de 25% se comparado aos valores de 2019.

Ainda segundo a agência, China, Europa, Estados Unidos e Índia dominam a expansão da geração de energia renovável. A China é a atual líder, e sozinha corresponde a 43% do acréscimo de energia renovável nos próximos cinco anos. Caso as previsões do relatório se concretizem, o país alcançará a capacidade de 1.200 gigawatts de energia solar e eólica quatro anos mais cedo do que inicialmente previsto.

O relatório também diz que a Índia irá dobrar o seu número de instalações de geração de energia renovável, se comparado com o período de 2015-2020.

Desafios para a neutralidade de carbono

Apesar dos números otimistas, o relatório diz que a atual expansão não é suficiente para se atingir a meta da neutralidade de carbono até 2050. Para que essa meta seja atingida, a média anual de crescimento da capacidade de geração solar e eólica precisaria ser quase o dobro da prevista atualmente, e o uso de biocombustíveis precisaria quadruplicar, segundo a IEA.

Além do aumento nos custos, a agência cita que os principais obstáculos observados para a expansão envolvem a dificuldade em obter aprovação e financiamento dos projetos por parte dos governos, assim como os altos custos de investimento em fontes renováveis em países em desenvolvimento.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade