AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Biomassa

Usinas do interior de São Paulo investem em biomassa e produção sustentável

Exame
21-Nov-2011 08:19 - Atualizado em 20/04/2016 14:42

As usinas Santo Antônio e São Francisco, em Sertãozinho, são exemplos paulistas de bom aproveitamento de bagaço e palha da cana-de-açúcar. Há 24 anos as empresas mostram como a biomassa pode ser uma ótima fonte de energia.

Apesar da sua eficiência, somente 123 usinas, das 432 instaladas no país, utilizam o subproduto da cana para este fim. Apenas 2% do consumo nacional são supridos por bioeletricidade, de acordo com dados da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Única).

No entanto, há duas dificuldades principais em investir neste tipo de tecnologia. A primeira diz respeito ao valor que precisa ser gasto para trocar as caldeiras de 20 bar (medida de pressão) para as de 65 bar, uma vez que o equipamento com alta pressão é mais eficiente. Outra questão é a diferença entre o preço pago pelos leilões do governo federal e o custo de produção bancado pelo agricultor. O valor mais recente do governo foi de R$ 100 por megawatt-hora, enquanto o custo dos agricultores é de R$ 200.

As usinas de Santo Antônio e São Francisco são administradas pela Organização Balbo, empresa fundada em 1946. O diretor industrial Jairo Balbo diz que desde 1958 a empresa começou a fabricar etanol e em 1987 começou a investir na produção de energia com venda de excedente para a distribuidora Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL). As usinas prosperaram tanto que deram origem a fundação da Bioenergia Cogeradora S/A, empresa do grupo que administra esse setor.

Uma das primeiras mudanças sustentáveis foi implantar a colheita mecanizada no lugar da queima. Ao longo do tempo outras alterações foram feitas, como a vinhaça sendo usada na fertirrigação das lavouras e reutilização da água para a lavagem de pisos e equipamentos. Além disso, há um reaproveitamento da torta de filtro para adubação, um resíduo do plantio de cana-de-açúcar.

A empresa cultiva cana-de-açúcar orgânica em 14 mil hectares e já é o maior exportador desse tipo de açúcar presente em 65 países, produzindo 65 mil toneladas. Este projeto recebeu o nome de Native, sendo considerado, pela ONU, um dos 29 negócios mais inspiradores para a economia verde.

Assuntos do Momento

Usina de biogás em Macaé transforma lixo em energia
30 de Junho de 2022
Energia Limpa

Usina de biogás em Macaé transforma lixo em energia

Macaé converte o gás metano, tóxico para a atmosfera, em energia limpa. Inauguração da usina faz parte do Mês do Meio Ambiente

Biogás pode ser a solução energética limpa e adequada para a Amazônia
04 de Julho de 2022
Autossuficiência

Biogás pode ser a solução energética limpa e adequada para a Amazônia

Geração de energia por esse tipo de recurso, que pode ser obtida por diferentes matérias-primas, conta com financiamento garantido pelo Banco da Amazônia, podendo atender empresas e comunidades

Bunge Bioenergia abre processo seletivo em cinco estados brasileiros
04 de Julho de 2022
Oportunidades

Bunge Bioenergia abre processo seletivo em cinco estados brasileiros

Há chances para estudantes de diversas áreas interessados nos Programas de Estágio ou Jovem Aprendiz da empresa

Energia solar é um dos mercados mais promissores entre as energias renováveis
04 de Julho de 2022
Solar

Energia solar é um dos mercados mais promissores entre as energias renováveis

Facilidades de financiamento a partir de bancos e cooperativas são vantagens estratégicas que ampliam potencial de crescimento

Vestas fornecerá turbinas eólicas para novo parque eólico em Pernambuco
04 de Julho de 2022
Eólica

Vestas fornecerá turbinas eólicas para novo parque eólico em Pernambuco

O novo empreendimento de energia eólica na região de Pernambuco contará com 19 turbinas V150-4,5MW que a Vestas fornecerá e instalará na região

Países da União Europeia concordam em encerrar venda de novos carros a combustão até 2035
30 de Junho de 2022
Carbono Neutro

Países da União Europeia concordam em encerrar venda de novos carros a combustão até 2035

A proposta da Comissão Europeia deve contribuir para alcançar os objetivos climáticos do continente, em particular a neutralidade carbônica no horizonte de 2050

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade