Guia Gessulli
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Energia Limpa

Usina híbrida aproveita o sol e dejetos de suínos

Energia limpa diversifica insumos e ganha escala

Redação com informações de Valor
21-Set-2021 09:19

No sol quente ao longo do dia, a energia é gerada pelas placas fotovoltaicas. À noite, com a temperatura amena, a energia vem da biomassa produzida a partir dos dejetos de 120 mil porcos. Trata-se da primeira usina híbrida de biogás e energia fotovoltaica em grande escala no país. Construída em Ouro Verde do Oeste, no Paraná, a EnerDinBo aproveita o sol pleno e o fato de a região ser uma das maiores produtoras de suínos do país.

Os dejetos são apenas uma das matérias-primas empregadas na geração de energia limpa e sustentável, que ganham escala no país. No Mato Grosso do Sul, a fábrica de celulose Eldorado Brasil produz energia com sobra de eucalipto, cavacos, cascas, tocos e raízes. No Rio Grande do Sul, a Enerbio Energia e Meio Ambiente toca dois projetos de usinas termoelétricas à base de casca de arroz. O bagaço da cana-de-açúcar, por sua vez, já é o mais usado como uma das biomassas.

A usina híbrida de Ouro Verde foi inaugurada em outubro de 2020. Sua unidade solar entra em operação em seis meses com capacidade de 500 quilowatss/hora.

A planta foi construída para tratar até 700 mil litros de dejetos/dia, com capacidade para gerar 1 megawatt/hora, suficiente para abastecer cerca de 2,5 mil casas. “O plano é gerar 2,5 mil MW/hora em um ano e atender 6 mil residências. Para 2025 a meta é ter mais de 5 MW/hora, tratando mais de 4,2 milhões de litros de dejetos por dia”, diz Thiago González, sócio e diretor-técnico da EnerDinBo.

De acordo com a Associação Regional de Suinocultores do Oeste, existem mais de 16 mil propriedades rurais voltadas para a atividade, somando mais de 5 milhões de cabeças. Apenas o município de Toledo, maior produtor do Brasil, tem 2,2 milhões porcos.

O Rio Grande do Sul produz 70% do arroz nacional e sua contribuição para a energia limpa vem justamente da casca do cereal. Os investimentos estão estimados em R$ 80 milhões em duas usinas termoelétricas. A primeira deve ficar pronta em 18 meses com potência instalada de 5 MW/hora, capaz de abastecer 50 mil residências.

De acordo com Luiz Antônio Leão, diretor-presidente da Enerbio, o empreendimento em Capivari do Sul já tem licença concedida e o plano é iniciar a construção ainda em 2021. A segunda fica em Uruguaiana, na fronteira Oeste do Estado, e está em fase de aprovação.

A maior usina de biomassa é a de Onça Pintada, em Três Lagoas (MS), erguida pela Eldorado Brasil. A geração teve início em abril passado e custou R$ 400 milhões. O insumo básico vem das florestas da própria companhia fabricante de celulose, como cavacos, cascas, tocos e raízes, além da sobra de eucalipto.

O parque da Eldorado tem potência instalada para produzir até 220 MW/hora. Dessa quantidade, 95 MW são utilizados na produção de celulose, 50 MW são fornecidos para as indústrias que produzem insumos ao processo e o excedente é exportado para o sistema elétrico nacional, para comercialização. Essa quantidade de energia pode abastecer uma cidade com cerca de 1 milhão de habitantes.

“Além da comercialização de energia limpa de fonte renovável, a companhia conquistou diferencial competitivo com a ativação da sua primeira termelétrica: o pioneirismo no aproveitamento de 100% do eucalipto plantado para produzir celulose e energia”, diz Carlos Monteiro, diretor técnico industrial e de suprimentos da Eldorado Brasil.

Todo o volume energético gerado, exceto o usado para o seu próprio funcionamento, diz ele, é fornecido ao Sistema Elétrico Nacional (SIN), representando nova fonte de receita. “Para se ter uma ideia, em 2020 foram destinados ao SIN 281 mil megawatts hora, gerando uma receita de R$ 62,5 milhões”, afirma.

A Usina São Martinho, um dos maiores grupos sucroenergéticos do Brasil, investirá US$ 100 milhões neste ano e uma parte será destinada à nova UTE, à base de bagaço, para expandir a oferta. “São investimentos que incrementarão em aproximadamente 20% o volume de energia”, afirma Felipe Vicchiato, CFO da São Martinho. “Este aumento tem capacidade para abastecer o equivalente a 46 mil residências todos os anos, utilizando a mesma quantidade de bagaço consumido hoje”, afirma.

Assuntos do Momento

Prédios públicos em municípios de SP e PR adotam o uso de energia solar, biomassa, eólica e pequenas centrais hidrelétricas estimando economia de R$ 2 milhões por ano
20 de Outubro de 2021
Redução de CO2

Prédios públicos em municípios de SP e PR adotam o uso de energia solar, biomassa, eólica e pequenas centrais hidrelétricas estimando economia de R$ 2 milhões por ano

Na expectativa de reduzir milhares de toneladas de CO2

Com transmissão ao vivo, AveSui 2022 será lançada oficialmente nesta quarta-feira (20/10) em Medianeira, PR
19 de Outubro de 2021
Evento

Com transmissão ao vivo, AveSui 2022 será lançada oficialmente nesta quarta-feira (20/10) em Medianeira, PR

A apresentação terá início às 09 horas com transmissão pelo canal TV Gessulli, do YouTube, sendo simultaneamente retransmitidos pelos sites Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial

Ministro do Meio Ambiente irá defender a "globalização" do etanol, na COP26
22 de Outubro de 2021
Biocombustível

Ministro do Meio Ambiente irá defender a "globalização" do etanol, na COP26

Joaquim Leite disse que pedirá “mais ambição financeira para incentivar programas como o etanol brasileiro”

Em instantes, assista ao lançamento da AveSui América Latina 2022 pelo canal TV Gessulli
20 de Outubro de 2021
Evento

Em instantes, assista ao lançamento da AveSui América Latina 2022 pelo canal TV Gessulli

Com início às 09 horas, a edição 2022 da feira será apresentada em evento no Lar Centro de Eventos, em Medianeira, no Paraná

Entenda como o substituto dos combustíveis provenientes do petróleo, como o gás natural, a gasolina e o diesel, promete mudar o destino da humanidade
20 de Outubro de 2021
Biocombustível

Entenda como o substituto dos combustíveis provenientes do petróleo, como o gás natural, a gasolina e o diesel, promete mudar o destino da humanidade

Brasil é referência mundial quando o assunto é produção de etanol e biodiesel: o biocombustível que veio para substituir o gás natural, a gasolina e o diesel

AveSui América Latina 2022 é lançada oficialmente em Medianeira
21 de Outubro de 2021
Evento

AveSui América Latina 2022 é lançada oficialmente em Medianeira

O evento retorna na modalidade presencial e já conta com expositores nacionais e internacionais

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade