Guia Gessulli
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Economia

Usina de energia solar fotovoltaica, instalada no telhado da fábrica da Udiaço, é a maior do estado de São Paulo

A Sunning, especialista em usinas de energia solar gerou economia e ganhos ambientais representativos para empresa de ferro e aço no segmento de construção civil, em São Paulo.

Redação com informações de Click Petróleo e Gás
15-Out-2021 11:13 - Atualizado em 15/10/2021 11:32

A Udiaço e a Sunning fecharam uma parceria para a instalação de um dos mais impactantes projetos de produção de energia alternativa dos últimos tempos: uma usina de geração de energia solar instalado no telhado da sede da Udiaço, localizada junto ao Rodoanel Mário Covas, em Carapicuíba, na região oeste da Grande São Paulo. São mais de 4.300 m2 de área que resultam na geração média de energia de mais de 75.000 kwh por mês.

A usina de energia solar instalada no interior de São Paulo

O projeto da usina de energia solar da Udiaço foi implementado durante a pandemia e levou cerca de oito meses para ser concluído. Uma boa parte do tempo foi tomada com o licenciamento da Enel que, devido à crise sanitária, estava com equipe reduzida e operando com restrições. “Nosso consumo médio de energia é de 85.887 kwh/mês. Com o telhado fotovoltaico, buscamos suprir quase 90% de nosso consumo”, disse Lucas Trevizan, diretor de marketing da Udiaço. “A partir das esperadas variações mensais de geração, esse índice oscila, mas com a implantação do sistema, as expectativas iniciais estão sendo superadas”, completou.

A conjuntura econômica atual tem mostrado o grande acerto da Udiaço na escolha da instalação da usina fotovoltaica em sua sede no estado de São Paulo. “Quando o estudo nos foi apresentado, a estimativa de economia para o primeiro ano era de aproximadamente R$ 350.000,00. Mas, com os recentes aumentos de tarifas, bandeiras amarelas, vermelhas e outras, esse ganho será ainda maior”, comemora Trevizan.

O tempo médio de retorno do investimento na instalação de um sistema da usina energia solar é de três a seis anos, mas ele praticamente se paga sozinho, uma vez que a economia na conta de energia, que acontece desde o que o sistema começa a operar, pode cobrir integralmente a parcela do financiamento. “Nossa expectativa de retorno de investimento é de quatro anos e oito meses, levando em conta que só teríamos bandeira verde tarifária no período. Ou seja, é um prazo conservador”, disse o diretor da Udiaço.

Desafios para a instalação do projeto de energia solar

Para a Sunning, esse projeto representou uma série de desafios. O maior foi uma instalação de grande porte, dentro de um centro urbano, envolvendo muitas pessoas e com a empresa em pleno funcionamento. “A usina fotovoltaica da Udiaço é a maior de São Paulo em área de telhado e tem a dimensão duas vezes superior que nossa maior obra até então. Eram muitos pontos a serem levados em conta e tivemos que buscar várias soluções técnicas inovadoras”, disse Abraão Algarve.

Um ponto importante na execução, foi a manutenção da unidade industrial que funcionou normalmente durante todo o período de implantação. Foram três fases principais: projeto, instalação e homologação junto à concessionária. Durante o processo, a empresa operou com geradores apenas por um período curto, durante a ligação da usina com a rede pública.

Esse projeto da usina de energia solar exigiu um estudo de parametrização da subestação da Udiaço para fazer a correta conexão da usina com a rede elétrica da concessionária, bem como uma automação para desligar os inversores, caso o gerador a diesel entre em ação. A casa dos inversores, recebeu ventilação especial e renovação de ar para remoção das cargas térmicas geradas acionado por termostato. Também há um sistema de monitoramento onde é possível acompanhar os resultados de produção de energia bem como avaliar o retorno do investimento.

Assuntos do Momento

Empresa de alimentos investe R$ 150 milhões em usina de geração de energia com biomassa
01 de Dezembro de 2021
Debêntures verdes

Empresa de alimentos investe R$ 150 milhões em usina de geração de energia com biomassa

Unidade vai gerar energia térmica a partir da palha do arroz; empresa criou uma nova subsidiária, a Camil Energia Renovável

Mercado de startups no Brasil cresce quase 30% no setor de energia
03 de Dezembro de 2021
Expansão

Mercado de startups no Brasil cresce quase 30% no setor de energia

Amazonas, Ceará, Distrito Federal, São Paulo e Santa Catarina são os Estados com mais startups voltadas ao setor de energia no país

ABiogás anuncia certificado de biometano e destaca a inauguração de 45 novas usinas em 2021
29 de Novembro de 2021
Descarbonizar

ABiogás anuncia certificado de biometano e destaca a inauguração de 45 novas usinas em 2021

Outro destaque foi a apresentação do Fundo Garantidor do Biogás, primeiro fundo com foco ambiental no Brasil, lançado em setembro pelo The Lab junto com a ABiogás

Relator propõe repasse de 80% dos Créditos de Descarbonização a produtor de biomassa
02 de Dezembro de 2021
Reivindicação

Relator propõe repasse de 80% dos Créditos de Descarbonização a produtor de biomassa

Deputado José Mário Schreiner (DEM-GO) também propõe que produtores rurais tenham o mesmo regime tributário dos produtores de biocombustível

Estudo da CCEE revela que estado de São Paulo tem mais de 17,5 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para o mercado livre de energia
30 de Novembro de 2021
Energia Renovável

Estudo da CCEE revela que estado de São Paulo tem mais de 17,5 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para o mercado livre de energia

São empresas de grande e médio porte como indústrias e shoppings que ainda são abastecidas pelo mercado regulado e que hoje possuem, sozinhas ou em comunhão, carga superior a 500 kW

Disponible en español Disponible en español
Energias renováveis batem recorde mundial, mas ainda não são suficientes
01 de Dezembro de 2021
Carbono Neutro

Energias renováveis batem recorde mundial, mas ainda não são suficientes

Um estudo divulgado pela Agência Internacional de Energia indica que, apesar do recorde batido, o ritmo ainda é insuficiente para colocar o planeta no caminho da neutralidade de carbono

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade