AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Aquisição

Urca Energia compra Gás Verde S.A e vai expandir produção de biometano

Aquisição da maior fornecedora de biometano do mercado brasileiro envolve R$ 1,2 bilhão, incluindo aquisição do ativo e planos de expansão

Redação com informações de Valor Econômico
28-Jan-2022 15:07

O Grupo Urca Energia, que atua na geração elétrica e comercialização de energia, biometano e gás natural, fechou um acordo para a compra da Gás Verde, empresa de biogás da JMalucelli. O negócio é da ordem de R$ 1,2 bilhão, incluindo o valor da compra do ativo e os novos investimentos na expansão do negócio - que posiciona a Urca como maior fornecedora de biometano do país, por meio da planta em operação no aterro sanitário de Seropédica, no Rio de Janeiro.

Com a aquisição, a Urca assume ainda duas termelétricas a biogás em aterros em Nova Iguaçu e São Gonçalo, também na Região metropolitana do Rio. A ideia da companhia, no entanto, é substituir as usinas por plantas de produção de biometano (produzido por meio do processamento do biogás) nos dois aterros. Com isso, a Gás Verde deixa de vender energia elétrica para se concentrar na comercialização do gás renovável - produto equivalente ao gás natural.

A Urca também tem plano de aumentar a produção de Seropédica, que atualmente produz 120 mil metros cúbicos diários (m3/dia) do biometano. A empresa pretende alcançar de 150 mil a 200 mil m3/dia até o fim de 2023 na unidade. Com os investimentos em São Gonçalo e Nova Iguaçu, a companhia espera atingir uma produção de cerca de 400 mil m3/dia em 2024 - o equivalente a cerca de 6% do mercado não termelétrico do Estado do Rio. As obras nas duas novas plantas estão previstas para o ano que vem. A empresa também fará, neste ano, ajustes para aumentar a eficiência e a qualidade da produção em Seropédica.

O diretor-executivo da Urca Energia, Marcel Jorand, conta que o foco é negociar o biometano para indústrias e postos de gás natural veicular (GNV), por meio de carretas de gás comprimido e/ou liquefeito. Os volumes de Seropédica já estão 100% contratados. Os principais clientes são a Ambev e a siderúrgica Ternium. A prioridade, agora, é fechar os contratos dos volumes das duas novas plantas.

Antes da compra, a Urca já mantinha uma relação comercial com a Gás Verde, de quem a comercializadora de gás do grupo comprava biometano. A aposta na aquisição do ativo partiu das oportunidades enxergadas com a agenda de descarbonização das indústrias.

Para captar clientes, Jorand afirma que a companhia aposta na previsibilidade dos contratos - uma demanda da indústria, sobretudo diante do choque dos preços internacionais do gás. A Petrobras reajustou em 50% os preços este ano junto às distribuidoras. No Rio, o aumento está suspenso por força de uma liminar obtida pela Naturgy, mas a petroleira recorre.

“Nosso custo de produção é em real, então vendemos o combustível em real, indexado a indicadores que o cliente já conhece e que estão ligados à cadeia produtiva dele [como a inflação e preço da energia elétrica]. Não está indexado a um Brent [barril do petróleo negociado em Londres], que está longe da nossa realidade”, afirmou.

Segundo Jorand, o biometano vendido pela Gás Verde é mais caro que o valor cobrado pela Naturgy, mas se a liminar que impede o reajuste da Petrobras cair, a expectativa é que os dois produtos fiquem pareados.

A Urca é uma holding que reúne uma comercializadora de energia, uma comercializadora de gás, além da Gás Verde e participações em geração - por meio da Eva Energia, que opera na geração distribuída a partir de térmicas a biogás, e da Evolution Power Partners (EPP), maior vencedora do leilão emergencial de energia de 2021, com térmicas a gás natural.

Fundada em 2018, a Urca é controlada pelos sócios Marcel Jorand, Maurício Carvalho e Pedro Assumpção. Em 2022, a previsão da empresa é atingir faturamento de R$ 500 milhões, o dobro de 2021, e alcançar entre R$ 900 milhões e R$ 1 bilhão em 2025.

Jorand conta que a companhia financiou a aquisição da Gás Verde em parte com capital próprio e em parte com dívida tomada no BTG Pactual, além de ter contado com o aporte de um sócio, a Byk Participações. A empresa não revela o valor da compra, nem a nova composição acionária da Gás Verde. Para o plano de expansão, a ideia é voltar ao mercado para financiar o projeto. Parte da dívida deve ser captada junto aos fabricantes dos equipamentos, mas a companhia também buscará novos sócios.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade