19-Jul-2018 15:12
Energia solar

Tüv Rheinland firma parceria com a ABSolar

Empresa, que tem mais de 20 GW inspecionados ao redor do mundo, quer atuar em favor do crescimento da energia solar no Brasil

A TÜV Rheinland Brasil, subsidiária de um dos maiores grupos mundiais de certificação, inspeção, gerenciamento de projetos e treinamentos, acaba de firmar parceria com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSolar), com o objetivo de atuar em favor do crescimento do mercado fotovoltaico no Brasil.

Com a parceria, a TÜV Rheinland, que é líder mundial em todos os aspectos relacionados aos projetos fotovoltaicos, com mais de 20 GW inspecionados em plantas fotovoltaicas ao redor do mundo, oferece ao setor nacional todo o seu conhecimento específico em ensaios fotovoltaicos e certificações de painéis térmicos, bem como em discussões de normas e portarias que orientem o mercado de energia solar brasileiro.

“Já temos uma forte atuação no setor em prol do desenvolvimento da energia solar fotovoltaica no Brasil e no mundo, e queremos ampliar por aqui, sendo parceiro estratégico dos empreendedores e demais players, a fim de avaliar as grandes plantas fotovoltaicas em construção, desde inspeções de controle de fabricação até ensaios na planta instalada”, afirma o gerente da área de negócios de energia solar, Robynson Molinari.

Os serviços também compreendem inspeções de instalação, de utilização e de manutenção, bem como avaliação de transporte dos módulos até o local de instalação, ensaios portáteis e treinamentos.

A empresa desenvolve serviços que atestam a qualidade e a eficiência dos equipamentos importados ou fabricados no Brasil. Os ensaios em módulos, inversores e baterias são realizados em laboratórios TÜV Rheinland localizados na China, Taiwan, Japão, Índia, Estados Unidos e Alemanha. Os testes são feitos conforme a portaria 004/2011 do INMETRO e aceitos pelo Instituto de metrologia brasileiro.

A empresa vem disponibilizando seus modernos centros de ensaios no exterior, em favor do desenvolvimento da energia solar no Brasil, desde meados de 2015, quando houve o acordo de reconhecimento mútuo estabelecido entre a CGCRE/INMETRO (Coordenação Geral de Acreditação do Instituto) e organismos internacionais como IAAC (Interamerican Accreditation Cooperation), ILAC (International Laboratory Accreditation Co-Operation) e DAKKS (Organismo Nacional de Acreditação da Alemanha), que chancelam os laboratórios TÜV Rheinland nestes países.

“Para a TÜV Rheinland o mercado brasileiro é estratégico, pois a energia fotovoltaica possui potencial de expansão, já que há abundância de irradiação solar e os custos da fonte já se encontram em patamares de alta competitividade”, afirma o coordenador geral de operações da área de energia solar, Gerson Allegretti. A estimativa é que em 2020 a energia solar represente 1,2% da matriz elétrica brasileira, o que corresponde a um crescimento de 111% em relação a 2017.

Ascom
Deixe seu Recado