11-Mai-2018 08:15 - Atualizado em 11/05/2018 08:29
Mobilidade

Seminário discute o uso de ônibus elétrico no Brasil

A eletrificação de veículos trará impactos ambientais e climáticos positivos. Dados da OMS mostram que, hoje, 9 em cada 10 pessoas no mundo respiram ar poluído

O uso de ônibus elétrico no transporte público brasileiro foi tema de seminário internacional realizado nesta quarta-feira em Brasília. O evento “E-mob - Eletromobilidade aplicada ao Transporte Público por ônibus” foi promovido pelos Ministérios da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e das Cidades, em parceria com o governo alemão.

O secretário de Desenvolvimento e Competitividade Industrial do MDIC, Igor Calvet, na abertura do seminário, destacou que a mobilidade elétrica é o novo paradigma para o setor automotivo. “A eletromobilidade rompe o padrão anterior de motores de combustão. Para conseguirmos avançar em eletromobilidade, temos necessidade urgente de melhorar a mobilidade urbana. Nosso setor produtivo também deve estar atento às tendências mundiais nesse setor”, disse.

Na visão do governo alemão, há pelo menos três desafios a serem vencidos nos próximos anos: os custos da descarbonização do setor de transporte, o desenvolvimento de novos modelos de negócio e a capacidade técnica dos municípios para receberem frotas de veículos elétricos.

A ministra-conselheira e chefe da Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável da Embaixada da Alemanha, Annete Windmeiser, destacou que, a despeito dessas questões, os governos precisam estimular a adoção de veículos elétricos.

“Na Alemanha temos frota de ônibus elétrico equivalente ao da cidade de São Paulo. O Brasil tem condições mais favoráveis de eletrificação do transporte público urbano. Precisamos juntar esforços e pensar em soluções que signifiquem menos emissão de CO2 na atmosfera”, afirmou.

A eletrificação de veículos trará impactos ambientais e climáticos positivos. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que, hoje, 9 em cada 10 pessoas no mundo respiram ar poluído. Sem políticas públicas para evitar a emissão de gases poluentes, a OMS estima que, em 2100, o clima na Terra atingirá até 48ºC.

Estudos de caso

Durante o seminário “E-mob” foram apresentadas experiências internacionais em eletromobilidade. Ray Minjares, pesquisador do International Council on Clean Transportation (ICCT), destacou a trajetória chinesa que, após sofrer com névoas intensas de poluição em 2013, adotou medidas duras para melhorar a qualidade do ar. O país tem 99% dos ônibus elétricos em circulação. 

“A China adotou 10 passos para estimular o uso de veículos elétricos. O governo estipulou que 60% das frotas de ônibus dos municípios devem ter sistema de energia alternativa - devem ser híbridos, movidos a bateria ou a hidrogênio. Desde 2009, o país gastou 48 bilhões de dólares na promoção da eletrificação de veículos”, disse.

De acordo com dados apresentados por Minjares, cidades chinesas

Redação
Deixe seu Recado