AveSui2021
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Inovação

Sem hélice, gerador eólico produz energia a partir de leves brisas

Protótipo desenvolvido consiste em um nanogerador, baseado na tecnologia de colheita eólica e construído com materiais piezoelétricos

TecMundo
28-Set-2020 09:26

Pesquisadores chineses desenvolveram um gerador eólico em miniatura que, ao invés de pás, possui duas fitas plásticas capazes de produzir eletricidade até mesmo a partir de um sopro. Os resultados do projeto foram publicados na revista científica Cell Reports Physical Science nesta quarta-feira (23).

"Você pode coletar a energia da brisa em sua vida cotidiana," disse o professor responsável pelo projeto, Ya Yang, do Instituto de Nanoenergia e Nanossistemas de Pequim. A equipe já tem planos de fabricar estes geradores em versões grandes, sem a necessidade de utilizar aparatos rígidos.

Como funciona o sistema

O protótipo desenvolvido consiste em um nanogerador, baseado na tecnologia de colheita eólica e construído com materiais piezoelétricos, que utilizam as vibrações externas para funcionarem e, portanto, dispensam o uso de baterias. A máquina foi também foi equipada com um miniturbina, onde a mágica realmente acontece. 

É nesta peça que estão localizados as duas fitas plásticas. Ao serem acionadas pelo vento, elas batem uma na outra e ficam eletricamente carregadas por seu contato. Confira abaixo como este processo ocorre:

,
divulgação

Esquema demonstra como a energia é produzida a partir do movimento das fitas.Fonte:  Xin Chen/Divulgação 

Captação eficaz

"Nós colocamos nosso nanogerador no braço de uma pessoa e o fluxo de ar do braço balançando foi suficiente para gerar energia", afirma Ya Yang. Durante os testes, o equipamento alcançou uma eficiência de 3,23% na conversão do vento e produziu energia suficiente para alimentar 100 LEDs ou sensores de temperatura.

Os pesquisadores planejam utilizar esta tecnologia para dois fins: na versão em miniatura, para substituir baterias em pequenos aparelhos eletrônicos e na versão tradicional. "Podemos colocar esses dispositivos onde as turbinas eólicas tradicionais não podem alcançar. Podemos colocá-los nas montanhas ou no topo de edifícios para obter energia sustentável", afirmou o professor Yang.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade