Guia Gessulli
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Rio Grande do Norte

RN firma acordo e deve ser primeiro estado a produzir energia eólica no mar

Projeto prevê instalação de 207 torres de energia eólica no mar entre Pedra Grande e São Bento do Norte.

Redação com informações de G1
14-Set-2021 16:22

O Rio Grande do Norte pode se tornar em breve o primeiro estado do país a ter produção de energia eólica offshore (no mar). A governadora Fátima Bezerra assinou nesta segunda-feira (13) memorando de entendimento entre o governo e a Internacional Energias Renováveis (IER) com o objetivo de promover desenvolvimento e implantação de projetos de geração de energia eólica offshore e produção de hidrogênio verde.

Em 2020, a IER iniciou pesquisa relativa a projetos de energia eólica offshore, associado à geração de hidrogênio verde, no litoral Norte do RN. O Complexo Eólico Offshore Ventos Potiguar prevê instalação de cinco usinas com capacidade de 2,7 gigawatts, 207 geradores, no mar localizado entre os municípios de Pedra Grande e São Bento do Norte, distante 8 km da costa.

"Recentemente, o RN foi o estado que mais captou novos investimentos no leilão para geração de energias renováveis, agora estamos dando passos firmes para consolidar o primeiro parque de produção de energia no mar do Brasil", falou a governadora. "O RN está na vanguarda do processo de geração de energia no país. Certamente, isso vai contribuir para ativar diversas cadeias produtivas e gerar trabalho, emprego e renda", completou.

A capacidade do Complexo Eólico Offshore Ventos Potiguar representa quase a metade dos 5,7 gigawatts que o estado produz hoje.

Darlan Santos, diretor técnico do IER, ressaltou que o RN já é destaque no Brasil pela produção de energia renovável em terra. "Agora vai ser no mar. Este novo projeto tem estimativa de investimento para implantação de R$ 18 bilhões com geração de 5 mil empregos na execução, instalação de 207 torres geradoras em cinco usinas", comentou.

 

Assuntos do Momento

Maior produtor do país na área, RN vai estocar energia eólica
24 de Setembro de 2021
Bioenergia

Maior produtor do país na área, RN vai estocar energia eólica

Empresa EV Brasil assinou protocolo com governo do estado para instalar primeiro projeto do tipo no país, nesta terça-feira (21). Investimento inicial é de R$ 12,5 milhões.

Na ONU, Bolsonaro destaca compromisso com transição energética e matriz brasileira
24 de Setembro de 2021
Compromisso

Na ONU, Bolsonaro destaca compromisso com transição energética e matriz brasileira

Presidente citou compromisso com dois pactos, um para reduzir emissões de carbono e outro para financiar o setor de hidrogênio, e disse que país é destaque na implementação de soluções energéticas sustentáveis

Alta do gás pode abalar transição verde na UE
23 de Setembro de 2021
Meio Ambiente

Alta do gás pode abalar transição verde na UE

Há o temor de que a crise energética tenha impacto sobre a crença no investimento em fontes mais limpas

Água da louça para regar plantação: ciência dá alternativas para agricultura sobreviver com seca e crise hídrica
24 de Setembro de 2021
Alternativa

Água da louça para regar plantação: ciência dá alternativas para agricultura sobreviver com seca e crise hídrica

Bioágua é feita a partir da filtragem das chamadas águas cinzas. Combinação entre diferentes fontes é a solução para pesquisadores, que também apostam no uso da água subterrânea.

BRF conquista certificado de Zero Waste para fábrica de perus na Turquia
24 de Setembro de 2021
Certificado

BRF conquista certificado de Zero Waste para fábrica de perus na Turquia

Documento atesta conformidade da Companhia ao Regulamento turco de Resíduos Zero

Alemanha deve acabar com uso de óleo de palma em biocombustíveis a partir de 2023
24 de Setembro de 2021
Biocombustível

Alemanha deve acabar com uso de óleo de palma em biocombustíveis a partir de 2023

Matéria-prima foi classificada pelo bloco como fator que resulta em desmatamento excessivo e não pode mais ser considerada um combustível renovável para transporte.

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade