AveSui2021
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Energia Eólica

Ramboll Brasil liderará o maior projeto de energia eólica offshore do País

Empreendimento será o primeiro do gênero no Brasil, que tem potencial para tornar-se líder mundial nessa fonte de energia

Redação
28-Dez-2020 10:00

A Ramboll Brasil, uma das maiores consultorias ambientais do mundo, liderará o processo de gestão ambiental, em todas as fases do projeto, da implantação, até o descomissionamento, do empreendimento de energia eólica offshore Asa Branca, localizado no Ceará. A obra, que deverá começar em 2023, absorverá investimento de aproximadamente R$ 13 bilhões, sendo um fator relevante para a retomada da economia no período pós-pandemia.

De acordo com Eugenio Singer, presidente da Ramboll Brasil, a energia eólica offshore é o "pré-sal" das fontes renováveis e deverá adicionar um gigawatt por ano, até 2035, na geração de eletricidade. "O Brasil tem condições extremamente favoráveis, tanto no Nordeste quanto no Sul, para esse tipo de empreendimento. A magnitude desses projetos marítimos é expressiva e deverá levar o País, até 2030, à liderança mundial na geração de energia eólica mundial. Hoje, somos o oitavo produtor somente com a terrestre", explica Singer.

O Complexo Asa Branca será capaz de gerar 3,2 Terawatts-hora (TWh) por ano, ou 3,2 milhões de megawatts-hora (MWh) anuais, o suficiente para atender 1,3 milhão de pessoas ou uma cidade com 340 mil residências. Porém, para se alcançar esse objetivo será necessário o apoio dos poderes Executivo e Legislativo. "É preciso que o setor público crie condições e incentivos para que esse modelo de energia limpa possa ser adotado no Brasil, nos mesmos moldes de outros programas, como o Proálcool, para o etanol, e o PROINFA, para eólicas terrestres", explica Marcello Storrer, CEO da Usina Asa Branca. Vários investidores estão dialogando com os empresários do complexo para possibilitar e alavancar sua implantação.

AveSui2021_dentro

Com o intuito de viabilizar o empreendimento, a Ramboll Brasil convidou mais duas empresas ambientais para compor um consórcio interdisciplinar destinado ao desenvolvimento de todo o projeto, que inclui também o disciplinamento e exploração do espaço marítimo, assim como toda a parte social. Essas empresas são a CEPEMAR, que já foi associada ao Grupo Suzano na CP+, e a Integratio.

Além de todas as vantagens econômicas que o Complexo Asa Branca proporcionará ao Nordeste brasileiro, o projeto abre espaço para uma nova realidade da matriz energética no País. "A capacidade geradora brasileira está saturada. Não temos mais rios capazes de gerar grandes volumes de eletricidade e as opções que restam são poluidoras", salienta Singer.

De acordo a Empresa de Pesquisa Energética, o Brasil tem potencial de gerar 1.700 gigawatts (GW) de energia eólica offshore, o que equivale a 11 vezes a capacidade de geração total instalada no País em 2020. "A condição da costa brasileira e a incidência de ventos, que são mais rápidos e unidirecionais, são ideais para esse tipo de investimento e empreendimento", explica Nelson Saldanha, CEO do Grupo Cepemar, especializado em monitoramento marítimo.

Por enquanto, o projeto terá como foco o Nordeste, mas todo o Brasil pode ser contemplado com esse nível de tecnologia. "Os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, bem como a Costa do Rio Grande do Sul, têm grande potencial", aponta Rolf Fuchs, presidente da Integratio, empresa especializada em mediação social e sustentabilidade.

Assuntos do Momento

Biodiesel de papelão: nova aposta tecnológica promete mais produção e menos poluição
11 de Janeiro de 2021
Inovação

Biodiesel de papelão: nova aposta tecnológica promete mais produção e menos poluição

Segundo os criadores, com a nova abordagem, é possível dobrar a produção e reduzir impactos ambientais

Cerveja Heineken® anuncia novo ingrediente: energia verde.
11 de Janeiro de 2021
Empresas

Cerveja Heineken® anuncia novo ingrediente: energia verde.

Em 2023, o Grupo HEINEKEN no Brasil tem o compromisso de operar em todas as cervejarias do país com energia 100% renovável.

AveSui2021_dentro
Gabinete aprova pacto entre Índia e Brasil para cooperação em bioenergia
11 de Janeiro de 2021
Cooperação

Gabinete aprova pacto entre Índia e Brasil para cooperação em bioenergia

Atualmente, Brasil é o segundo maior produtor e consumidor mundial de biocombustíveis e biocombustíveis

Nordex fecha venda de turbinas para parque eólico da Statkraft no Brasil
14 de Janeiro de 2021
Energia eólica

Nordex fecha venda de turbinas para parque eólico da Statkraft no Brasil

A Nordex disse que o negócio fechado junto à Statkraft envolverá turbinas eólicas de seu modelo N163/5.X que somarão capacidade total de 518,7 megawatts.

Avança a cooperação técnica entre a Castrolanda e as Nações Unidas
14 de Janeiro de 2021
Energia limpa

Avança a cooperação técnica entre a Castrolanda e as Nações Unidas

Cooperativa, através do Setor de Energia, tem buscado alternativas sustentáveis com relação ao desenvolvimento do biogás em suas regiões de atuação.

Siemens Gamesa e Siemens Energy inauguram uma nova era de produção offshore de hidrogênio verde
14 de Janeiro de 2021
Hidrogênio Verde

Siemens Gamesa e Siemens Energy inauguram uma nova era de produção offshore de hidrogênio verde

Iniciativa representa um passo importante para desenvolver um sistema em escala industrial capaz de produzir hidrogênio verde a partir de ventos offshore

Mais assuntos do momento