Guia Gessulli
28-Set-2018 13:51
Subsidio

Programa Cidades Inovadoras terá R$ 1 bilhão para projetos de desenvolvimento sustentável

Propostas voltadas para os municípios nas áreas de saneamento, mobilidade, eficiência energética e energias renováveis receberão recursos

Para auxiliar no desenvolvimento sustentável das regiões brasileiras, o governo federal lançou, nesta quinta-feira (27), o Programa Cidades Inovadoras. Por meio da Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep), o projeto vai subsidiar atividades de inovação no setor público dos municípios, em parceria com agentes financeiros credenciados.

Inicialmente, o programa terá R$ 1 bilhão para ser investido em dois anos. Os recursos serão repassados para as prefeituras, governos estaduais e empresas de economia mista ou empresas privadas que tenham interesse em desenvolver projetos de inovação que beneficiem áreas de influência regional.

Durante a cerimônia de lançamento do projeto, no Palácio do Planalto, o presidente da República, Michel Temer, disse que, no âmbito da tecnologia, a proposta coloca o País no século XXI. Ele também destacou a importância do investimento em municípios. “Quando os municípios crescem e prosperam, prosperam os estados e a União Federal. É por isso que nesse programa de grande conquista para a ciência brasileira, ela se volta para as cidades inovadoras”, ponderou.

Segundo o presidente em exercício da Finep, Ronaldo Camargo, os projetos apresentados devem variar entre R$ 15 milhões e R$ 350 milhões, dependendo do tamanho da prefeitura. A perspectiva é de receber 400 projetos já no primeiro ano. O órgão espera que, no mínimo, 200 municípios participem.

Pelo menos quatro setores receberão apoio prioritariamente: saneamento, mobilidade, eficiência energética e energias renováveis. Na área de saneamento e recursos hídricos, serão analisadas propostas sobre tratamento, compostagem e aproveitamento de água da chuva. No âmbito da mobilidade urbana, serão destacadas as áreas de implantação de sistemas de transporte e circulação que valorizem a eficiência e a redução de gases poluentes.

Quanto aos temas de eficiência energética e energias renováveis, receberão apoio propostas sobre instrumentações, processos, programas, tecnologias e sistemas para energia fotovoltaica, eólica e biomassa. Outros setores de atividade econômica poderão ser apoiados mediante análise das necessidades locais pela Finep ou pelos agentes financeiros.

Pelo projeto, a taxa de juros será a do CDI + 4,0% a.a. (remuneração Finep) e a remuneração do agente será negociada entre a instituição e o cliente. O prazo de carência será de até 24 meses e o prazo de amortização de até 96 meses. A Finep terá participação de até 100% do valor do Plano Estratégico de Inovação (PEI). Os recursos investidos pela financiadora no programa são oriundos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no âmbito do “Inovar para Crescer”.

Redação
Deixe seu Recado