Guia Gessulli
28-Fev-2020 09:04
Energia Limpa

Produtores rurais de Brasília adotam energia fotovoltaica para reduzir custos

Emater – Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal auxilia na implementação e financiamento do projeto

Como alternativa para reduzir custos, dez produtores do Lago Oeste, em Brasília, estão em processo de implantação de energia fotovoltaica em suas propriedades com a orientação da Emater – Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal. O sistema também é uma forma de solucionar problemas de falta de energia elétrica em locais mais isolados.

Segundo Tupac Borges Petrillo, especialista de políticas públicas em Meio Ambiente da diretoria-executiva da empresa, a Emater-DF faz uma avaliação para o produtor e, dependendo da quantidade de energia gasta na propriedade, dizemos se é viável ou não a instalação. “Quando se gasta mais de R$ 500 por mês na fatura, por exemplo, vale a pena pensar na energia fotovoltaica”, destaca.

Os produtores interessados no sistema podem procurar a Emater para buscar informações, tirar dúvidas e ainda dimensionar projetos de energia solar fotovoltaica para diminuir custos de produção. 

O custo de implantação do sistema de energia fotovoltaica, segundo Petrillo pode variar de R$ 18 mil a R$ 60 mil, dependendo de cada modelagem e das necessidades do produtor. “O retorno desse investimento chega, em média, com cinco anos de uso do sistema. Assim a economia de energia permanecerá 25 anos, tempo médio de vida útil do sistema”, explica.

A Emater-DF também auxilia na elaboração do projeto de crédito para aquisição do FDR – Fundo de Desenvolvimento Rural que é uma boa alternativa de financiamento de projetos no DF. A taxa de juros anual de financiamento para a compra de maquinário por meio do FDR, por exemplo gira em torno de 2,25% ao ano, se as parcelas forem pagas em dia. Pelo fundo, é possível financiar até R$ 150 mil, que podem ser pagos em dez anos.

Segundo Petrillo, em 2019, foram aprovados oito financiamentos para esse tipo de investimento. “Uma exigência para a aprovação do FDR é que o projeto seja aprovado pela Câmara Técnica”, orienta o diretor da Unidade de Gestão de Fundo da Seagri, Edson Rohden.

O sistema para geração de energia elétrica a partir da radiação solar é formado basicamente por placas fotovoltaicas e por um inversor. A partir do momento em que a energia elétrica é produzida nos painéis, é armazenada em baterias (off-grid) ou injetada diretamente na rede elétrica convencional (on-grid). 

Esta última gera crédito e abatimento na conta junto à CEB. Caso seja produzida energia excedente, os créditos podem ser utilizados em outro imóvel que o produtor tenha cadastrado na Companhia Energética de Brasília (CEB), e o prazo para uso do crédito é de seis meses.

Portal Solar
Deixe seu Recado