04-Ago-2017 15:15 - Atualizado em 07/08/2017 14:55
Desenvolvimento

Primeiro navio 100% elétrico deve ser lançado em 2018

Desenvolvedores garantem que o Yara Birkeland será capaz de economizar até 90% do orçamento operacional

2017, releases empresas, fotos atualizadas , Divulgação/Pensamento Verde
Foto: Apesar de apresentar um valor mais alto para construção, navio pode zerar as emissões de carbono e enxofre.Divulgação/Pensamento Verde
Uma parceria entre duas empresas norueguesas deve originar um projeto sustentável inovador e revolucionário para o setor marítimo mundial. Trata-se da criação do Yara Birkeland, um inédito navio que funcionará com 100% de eletricidade.

De acordo com notícia publicada no Wall Street Journal, os responsáveis pelo projeto, a Yara International (atuante na indústria de fertilizantes) e a Kongsberg (sistemas marítimos), informaram que o container está sendo desenvolvido com o objetivo de suprir as necessidades operacionais da empresa de fertilizantes e fazer o transporte de produtos.

O grande navio deve ficar pronto até o final de 2018, quando terá capacidade para carregar até 150 TEUs (unidade de medida padrão para containers marítimos) e navegará entre os portos de Herøya, Brevik e Larvik, localizados na área dos fiordes noruegueses.

O custo para fabricação do modelo elétrico é de 25 milhões de dólares, valor equivalente a três vezes mais que um navio tradicional do mesmo tamanho. O grande ponto positivo do projeto, entretanto, está no fato de que o container dispensará custos com bunker, já que é movido a propulsão elétrica e não tem custos com sua tripulação.

Os criadores do Yara Birkeland prometem uma economia de até 90% do orçamento operacional, fora a intenção de zerar as emissões de carbono, enxofre e outras substâncias poluentes. Outro benefício do navio – este, de forma indireta –, é a substituição de 40 mil viagens de caminhão (que fariam o transporte dos fertilizantes) em áreas urbanas, tornando as pegadas de poluição da operação ainda menores.

Com estimativa de lançamento para o ano que vem, o planejamento é de que, em 2019, o navio inicie operações remotas e que funcione de maneira autônoma até 2020. Vale destacar, inclusive, que a Yara já manifestou a intenção de enviar uma carga de fertilizantes para o Brasil assim que o projeto se estabelecer com as devidas dimensões.

Pensamento Verde
Deixe seu Recado