31-Mai-2017 15:09
São Paulo

Primeira usina solar do país em parque público é inaugurada

O Governo de São Paulo inaugurou na sexta-feira, 26 de maio, a primeira usina solar do país instalada em um parque público. Desde o início do mês, os Parques Villa-Lobos e Cândido Portinari, localizados na zona oeste da Capital, estão sendo abastecidos por energia solar.

O projeto, idealizado pela Secretaria de Energia e Mineração, foi executado pela Cesp – Companhia Energética de São Paulo e contou com o apoio da Secretaria do Meio Ambiente, além de empresas privadas. O investimento de R$ 17 milhões, destinado à construção da planta e realização de pesquisa na aérea de energia fotovoltaica, foi aportado pela Cesp e parceiros por meio do programa de pesquisa e desenvolvimento da Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica, vinculada ao Ministério de Minas e Energia.

“Além desta usina solar, na Capital, estamos fazendo na cidade de Rosana um Complexo de Energias Renováveis do Futuro com solar flutuante, painéis fotovoltaicos flexíveis, torre eólica e energia heliotérmica. Todas conectadas à hidrelétrica de Porto Primavera”, destacou o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles que acompanhou o governado Geraldo Alckimin na inauguração. 

A principal instalação do projeto é uma minicentral fotovoltaica de 531 quilowatts-pico (kWp), localizada em um bolsão do estacionamento do Parque Cândido Portinari, onde 2.095 módulos fotovoltaicos realizam a cobertura de 264 vagas totalizando 3.400 metros quadrados. Além da usina, foram instaladas uma estação solarimétrica, uma microcentral de 9 kWp e 40 postes que geram a própria luz.

Esse é o maior projeto de mini geração solar distribuída em um parque do Brasil. O sistema tem capacidade de produção anual de 665 megawatt-hora (MWh) e foi dimensionado para atender a demanda do estacionamento, lanchonete e área de esportes do parque.

A energia gerada pelas plantas fotovoltaicas passou a atender em maio de 2017 os dois parques. Somados, Villa-Lobos e Cândido Portinari consomem mensalmente cerca de 55 MWh, o que representa um custo anual de aproximadamente R$ 390 mil. Com a implantação da usina solar, os parques terão uma redução de cerca de 70% do valor da conta de luz, o que representa a economia de R$ 270 mil para os cofres públicos.

Mesmo com essa produção de energia elétrica, o parque continua conectado à rede de fornecimento da AES Eletropaulo. Isso porque, no momento em que não houver a produção de energia, seja no horário noturno ou em dias com forte nebulosidade, os parques serão abastecidos pela eletricidade da rede, o que é conhecido como sistema de compensação de energia.

O empreendimento foi desenvolvido com a finalidade de estudar os aspectos regulatório, econômico, técnico e comercial da energia solar. Além da obtenção de dados de geração fotovoltaica para pesquisas acadêmicas, o projeto pretende propagar o uso de energia fotovoltaica entre os visitantes, demonstrando que a geração de energia solar é amigável ao meio ambiente e pode se integrar com as instalações urbanas.

A Cesp administrará a usina até novembro deste ano, quando se encerra o projeto de P&D da Companhia junto à Aneel. A partir de dezembro a administração da usina passará para a Secretaria do Meio Ambiente, responsável pelos Parques Villa-Lobos e Cândido Portinari.

O projeto conta com a participação das empresas RTB Energias Renováveis, AES Eletropaulo, AES Tietê, Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico, Engre Energias Renováveis, Foz do Rio Claro e Ijuí Energia, além do apoio das Secretarias de Energia e Mineração e do Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

Secom/SP
Deixe seu Recado
;