AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Economia

Primeira indústria de etanol de milho de MS começa a operar no próximo dia 11

Nessa primeira fase, a planta terá capacidade para produzir 400 mil metros cúbicos de etanol ao ano, além de 360 toneladas ao dia do DDGS e 37,5 mil litros ao dia de óleo vegetal

Redação, com informações MS
31-Mar-2022 08:35

O vice-presidente da Inpasa Agroindustrial, Rafael Ranzolin, recebeu na manhã desta quarta-feira (30) a Licença de Operação que possibilita o início das atividades da primeira indústria de etanol de milho no Estado, instalada no município de Dourados. Ranzolin se reuniu com o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, e com o diretor-presidente do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), André Borges, e anunciou que dia 11 de abril a indústria inicia a produção.

Nessa primeira fase, a planta da Inpasa Agroindustrial tem capacidade para produzir 400 mil metros cúbicos de etanol ao ano, além de 360 toneladas ao dia do DDGS (proteína utilizada na formulação de ração animal) e 37,5 mil litros ao dia de óleo vegetal. Na segunda fase – cujas instalações devem estar prontas em julho – o volume da produção deve dobrar. O investimento previsto é de R$ 2 bilhões, sendo R$ 100 milhões oriundos de recursos do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste).

Além do complexo industrial, os investimentos da Inpasa Agroindustrial em Dourados compreendem uma usina termoelétrica para cogeração de 26,18 MW, posto de combustíveis e polo de serviços. Ao todo, mais de 600 empregos diretos serão gerados pela empresa.

Agilidade surpreende

O vice-presidente da empresa agradeceu a celeridade do Imasul na análise e tramitação dos processos, revelando-se surpreso com o curto prazo para liberação da licença. “A gente não imaginava que seria assim. Tirar uma licença de operação em 30 dias. Geralmente é o contrário, mas aqui, vocês empurraram nós”.

O secretário Jaime Verruck frisou que se trata de um processo complexo, porém o órgão ambiental tem buscado de meios tecnológicos para encurtar prazos e acelerar os procedimentos, tudo sem prejuízo para a análise técnica e segurança ambiental. “A construção foi boa, o que ajudou muito. Os técnicos puderam acompanhar a implantação no decorrer das obras e a comunicação das equipes criou facilidade interna”, completou o diretor presidente do Imasul, André Borges.

A licença ambiental é documento indispensável para a empresa conseguir outros alvarás possibilitando o início das atividades, como a autorização da ANP (Agência Nacional do Petroleo). A Inpasa Agroindustrial tem duas unidades no Paraguai e outras duas em operação no Brasil.

Mais etanol de milho

Em fevereiro, foi entregue também por Verruck e Borges a Licença Prévia para instalação de mais uma usina de etanol de milho, dessa vez para a empresa Neomille, no município de Maracaju. A Neomille é um empreendimento da CerradinhoBio, maior complexo produtor de bioenergia da América Latina, com unidades industriais em Chapadão do Céu (GO).

A usina será instalada às margens da rodovia MS-157 em uma área de 115 hectares e investimento estimado em R$ 1 bilhão e geração de 150 empregos diretos e cerca de 500 indiretos. A meta de processamento anual é de 1,2 milhão de toneladas de milho ao final de todo o processo de implantação da usina, que está licenciada para produção de 537 mil metros cúbicos/ano de etanol, além de subprodutos como o DDG, ou farelo de milho (1.086 toneladas/dia), geração de 44 MW de energia e produção de 58 mil litros de óleo de milho ao dia.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade