AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Empresas

Paraná pode expandir plantio de seringueiras para atender Sumitomo

Instituto Agronômico do Paraná
02-Mai-2012 13:23 - Atualizado em 20/04/2016 14:43

O Paraná poderá expandir o plantio de seringueiras para atender a Sumitomo, fabricante japonesa de pneus que está se instalando em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, e deve começar a produzir em 2015. A empresa comunicou a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab) que tem interesse em comprar matéria-prima local e em investir em pesquisa para transferir tecnologia aos produtores. Um plano de estímulo à atividade será desenvolvido a partir de agora.

O secretário da Agricultura, Norberto Ortigara, recebeu a diretoria da Sumitomo no dia 25 de abril de 2012, em Curitiba. Foi acordada a formalização de um protocolo de intenções, aditivo ao que a Sumitomo já assinou com o Governo do Paraná para a instalação da indústria em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba.

O protocolo terá a participação da Cooperativa Agroindustrial de Maringá (Cocamar), que vai fomentar o plantio de seringueira pelos produtores cooperados, do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-PR), que vão gerar tecnologia e prestar assistência técnica aos produtores. O Estado já tem um plantio comercial de seringueira de cerca de 850 hectares, na área de abrangência da Cocamar. A produtividade média local é de cerca de 2 mil quilos anuais por hectare. "Esse volume está de 10% a 12% acima da média nacional", disse o secretário. "Além disso, a absorção dessa produção no mercado comprova que a produção paranaense de borracha não deve nada em termos de qualidade."

De acordo com Ortigara, o Paraná tem condições de solo e clima propícias para a produção de borracha de qualidade. Além disso, a produção local teria na proximidade com a fábrica uma vantagem competiviva. "Se o acordo for concretizado, será a primeira vez que o plantio da seringueira no Estado terá um aliado de peso com garantia efetiva de compra", disse o secretário.

Produção - A Sumitomo deve iniciar suas atividades em 2015 e atingir a capacidade total de produção de pneus no Paraná no ano seguinte. Sua capacidade de compra está estimada num volume de 15 mil a 20 mil toneladas de borracha por ano. Inicialmente, essa matéria-prima será importada da Ásia, onde a empresa tem produção. A partir do Paraná, a empresa fabricante de pneus vai abastecer os mercados do Brasil e América Latina.

O presidente da Sumitomo para a América do Sul, Ippei Oda, informou que a empresa quer substituir as importações de matéria-prima, cujo custo é elevado, pela produção nacional.

A diretoria da Sumitomo condicionou o estabelecimento dos contratos de compra à qualidade da borracha. Segundo Oda, a empresa só compra se a produção estiver no padrão fixado. "A matéria-prima que não puder ser obtida no Brasil será trazida de fora. Mas a preferência será trabalhar com matéria-prima nacional", disse. Oda informou também que a empresa tem interesse em investir em pesquisa científica no Iapar, para desenvolvimento de tecnologia, que será transferida aos produtores.

Oportunidade - Segundo Ortigara, a viabilização do cultivo da seringueira representa uma nova oportunidade econômica para os produtores e o governo do Estado está disposto a fomentar o plantio da árvore. A atividade está de acordo com as metas de desenvolvimento sustentável estabelecidas pela Secretaria da Agricultura e pode ser consorciada com a cafeicultura.

O vice-presidente da Cocamar, José Fernandes Jardim Júnior, afirmou que há potencial para expansão de pelo menos 2 milhões de hectares com o cultivo de seringueira no Norte do Paraná.

O encontro também teve a participação do representante do Institute Hyogo, Makoto Yamashita, do presidente em exercício do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) Adelar Moter e do diretor técnico da Emater-PR, Natalino Avance de Souza.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade