AveSui 2020
27-Fev-2015 09:33 - Atualizado em 20/04/2016 14:54
Artigo

O Coaching e o Executivo - por Arnaldo de Sousa

O executivo fictício José Alfredo anda meio cabisbaixo. Hoje com 35 anos, sua carreira não decolou como planejara dez anos atrás. Anda sem tempo para sua família e para o lazer e ainda ganhou uns quilinhos a mais.

Olha para os lados e vê que seus colegas estão sendo promovidos e ele não. Sente que está marcando passo. Nunca tem dinheiro para nada. Lembra-se que no ano novo do ano anterior já havia decidido que iria se transformar e que sua vida daria uma guinada de 180 graus. Mas a rotina e os compromissos diários o absorveram.

Ele lê as notícias e só enxerga tragédia. Diz que a economia vai mal e que as perspectivas estão se fechando. Deseja mudar de emprego, mas acredita que a concorrência dificulta seu acesso ao mercado porque se sente despreparado em relação aos outros.

Uma vida praticamente andando igual caranguejo. De lado! De repente, alguém lhe dá um conselho para fazer Coaching.

Quando uma pessoa sente que sua vida está "presa" e que precisa fazer algo, procurar a ajuda de um Coach profissional pode ser de grande valor.

Coaching é a arte de ajudar a extrair o que cada um tem de melhor, ou aumentar suas potencialidades, para que ela mesma desenvolva ações diárias a fim de atingir os resultados desejados e planejados.

Desde o século passado, a partir dos anos 1970, a atividade de Coaching vem ajudando muitas pessoas ao redor do mundo a buscar dentro si, suas experiências que foram sendo ignoradas com o passar do tempo, levando-as a perder a autoestima e autoconfiança.

Para que você procure um Coach, seja para melhorar pontos turbulentos da sua vida pessoal, seja para alavancar sua carreira, são necessárias algumas premissas:

1) Sentir o desejo ardente de alterar o seu estado atual para um estado desejado;
2) Procurar profissionais sérios que utilizam técnicas validadas e que mantenham a isenção no processo, deixando que você mesmo encontre seus caminhos;
3) Comprometer-se fielmente com as tarefas criadas por você mesmo e comprometidas com o Coach. Porque Coaching sem tarefas e ação é apenas um bate-papo.

Um alerta que eu te faço é se, numa sessão de Coaching, um Coach falar o que você TEM QUE FAZER, não diga nada, simplesmente termine a sessão, levante-se e nunca mais volte, pois dessa forma, ao dar sugestões, ele não estará utilizando as verdadeiras técnicas eficazes do Coaching.

Um ótimo Coach ajudará você a buscar através de técnicas e vivências, o que está registrado em sua mente e mostrará que VOCÊ mesmo possui os recursos para sua transformação.

Após passar por cinco ou dez sessões de Coaching, você vai deixar para trás vários pensamentos limitantes que você acreditava serem verdades e que apenas te impediam de crescer, se desenvolver, se aprimorar, enfim, seguir DONO ou no CONTROLE de sua vida.

Caso uma pessoa esteja "presa" e não consiga lidar ou se "libertar" de questões do passado, incluindo problemas emocionais intensos, talvez seja mais adequado a ela, procurar a ajuda de um terapeuta ou psicólogo.

O grande elogio que um profissional de Coaching gosta de ouvir é saber que o seu Coachee (cliente) saiu do ponto A (estado atual) para o ponto B (estado desejado) com muito mais confiança em si mesmo, mais alegria para a vida, mais vitalidade em suas empreitadas, enfim, com mais sonhos e ações que o impulsione para frente.

Esse é o trabalho do Coach, transformar pessoas...

Ah! Você sabe o que aconteceu com o José Alfredo do início de nossa conversa? Depois de um programa de coaching ele largou o antigo emprego, assumiu a diretoria de marketing de outra empresa, pratica esportes, comprou casa nova, está de bem com a família, ganha mais dinheiro e é uma pessoa feliz e com muitas perspectivas na sua vida.

Publicação Exclusiva AI/SI/BB

Arnaldo de Sousa

Arnaldo de Sousa é jornalista com especialização em economia pela Fipe/USP e palestrante para o mercado de agronegócios. Foi aluno do maior palestrante do Brasil, Roberto Shinyashiki. Contato: [email protected]

Deixe seu Recado