AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Biomassa

Nova usina de cana-de-açúcar promete gerar 1200 empregos no MS

Grupo agroindustrial de SP se instala no MS para investir e operar planta de antiga Usina Orbi Bioenergia semiacabada, que deveria produzir cana-de-açúcar  

Redação com informações de Click Petróleo e Gás
10-Jan-2022 10:36 - Atualizado em 10/01/2022 10:50

O Grupo Pedra Agroindustrial S/A, de Andradina (SP), anunciou que tomou posse da planta da Usina de cana-de-açúcar Orbi Bioenergia, localizada na Fazenda Toca da Coruja, no distrito da Vila Raimundo, Rodovia Br-158, km 62, Zona Rural de Paranaíba, no MS.

A usina – que se encontra semiacabada – estava em nome da Companhia Energia Renovável (Cern), que iria fazer o controle de operações da planta futuramente e gerar mais de mil empregos.   

A nova Usina Cedro, como será chamada a antiga Usina Orbi Bioenergia daqui em diante, pelo Grupo Pedra Agroindustrial S/A, seu novo controlador, tem previsão de que a primeira moagem da primeira safra já avaliada em torno de 1,2 milhão de toneladas de cana-de-açúcar, seja apenas em 2024, com uma estimativa de chegar a 5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar moídas.

A expectativa é de que, ao longo das obras de reparo na usina e também após o encerramento das obras, sejam gerados mais de 1.200 empregos diretos e também terceirizados.

Etapas iniciais de funcionamento da usina

Na última quinta-feira, 6, representantes do grupo Pedra Agroindustrial S/A estiveram no município de Paranaíba, no MS, e se reuniram com o prefeito Maycol Queiroz (PDT) para falar a respeito das etapas iniciais para o funcionamento da usina.

O primeiro passo é a elaboração de um estudo aprofundado sobre as principais estradas rurais do município em MS e também a verificação da atual situação das pontes, que farão parte do trajeto que será utilizado tanto pela matéria prima quanto pelos futuros colaboradores.

O estudo servirá também para verificar as melhores rotas de escoamento da produção. De acordo com o prefeito Maycol Queiroz, além da melhoria e movimentação da economia local, mais de 1.200 empregos e renda serão gerados, sem falar da visibilidade para o município e também para o estado de MS.

Demanda inicial da nova Usina Cedro

De acordo com o gerente corporativo agrícola do Grupo Pedra Agroindustrial S/A, Sérgio Luiz dos Santos, a agroindústria tem a pretensão de plantar cerca de 1.500 hectares de cana-de-açúcar em no mínimo três meses, para que seja possível atender à necessidade da usina.

Sérgio destacou que todas as fases do grupo são muito concretas e que o projeto já é uma realidade. Ele afirmou que no próximo mês, fevereiro, algumas obras terão início dentro da área industrial da usina. O prefeito Maycol também falou a respeito de outras tentativas de alavancar o projeto da usina, somando 12 anos de tentativas falhas com outras agroindústrias.

Maycol abriu destaque, em entrevista à rádio local, ao falar sobre o investimento do SESI/SENAI de R$ 15 milhões, além também do investimento em mão de obra qualificada e a parceria que firmará nas próximas etapas do projeto, com produtores rurais locais de cana-de-açúcar, valorizando a agricultura familiar regional.  

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade