AveSui
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Carbono Neutro

Minas Gerais adere à campanha britânica para neutralizar emissões de carbono

Minas é o primeiro Estado da América Latina a aderir à campanha

Redação com informações de Valor
10-Jun-2021 08:59 - Atualizado em 10/06/2021 09:13

O governo de Minas Gerais aderiu na última quarta-feira à campanha mundial “Race to zero”. Criada em 2020 e patrocinada pela Comissão de Compensação das Nações Unidas (UNCC), a campanha tem como meta neutralizar as emissões de gases de efeito estufa até 2050. O termo de adesão foi assinado pelo governador do Estado, Romeu Zema (Novo), pelo embaixador do Reino Unido no Brasil, Peter Wilson, e por representantes das indústrias e do agronegócio. Minas é o primeiro Estado da América Latina a aderir à campanha.

No mundo, a campanha tem adesão de 24 Estados, 708 cidades, 2.360 empresas — sendo 86 brasileiras — 163 grandes investidores globais e mais de 600 universidades. Juntos, esses atores representam 50% da economia global e 25% das emissões de carbono. No Brasil, também participam as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Salvador e Terra Nova do Norte (MT).

A meta de neutralizar as emissões de carbono até 2050 está em linha com o anúncio feito pelo presidente Jair Bolsonaro na Cúpula de Líderes sobre o Clima.

A secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo, disse que a adesão à campanha Race to Zero obriga o Estado a divulgar publicamente metas de redução de emissões ao longo do tempo e a tornar público o cumprimento dessas metas. “As metas serão monitoradas pelo programa e seremos cobrados por organismos internacionais. Isso torna o compromisso mais forte”, afirmou.

Zema afirmou em discurso que Minas Gerais já é o Estado que mais gera energia solar no Brasil, o maior em reflorestamento e está prestes a receber a primeira montadora de carros elétricos na América Latina. “Tudo isso faz parte desse contexto e eu fico imensamente agradecido ao Reino Unido por estar nos dando essa oportunidade”, disse o governador.

Zema acrescentou que o compromisso deve ajudar a atrair novos investimentos ao Estado. “Isso vai ajudar a atrair investimentos, vai ajudar a valorizar o nosso produto, o café, o queijo que nós vendemos para fora, porque será visto como um produzo que foi produzido com responsabilidade”, acrescentou.

De acordo com Marília, a primeira ação a ser adotada é a atualização do Inventário de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa no prazo de 12 meses, para, a partir desses dados, definir as metas de redução de emissões até 2030 e até 2050. O inventário mais recente é de 2016. O Estado é o quinto maior do país em emissões de gases de efeito estufa, segundo a secretária.

“A gente quer muito reforçar a geração de energias renováveis. Também temos planos de aumentar a cobertura vegetal no Estado com reflorestamento, para captura de gases de feito estufa, uso de combustíveis renováveis no transporte público, entre outras ações”, afirmou Marília. Ela observou que o Estado atingiu 1 gigawatt de potência instalada de geração de energia fotovoltaica, o que equivale à redução de emissões de 394 mil toneladas de carbono por ano.

“Ser o primeiro Estado na América Latina passa uma mensagem muito poderosa, de que há no Brasil quem quer abraçar a causa climática. Existem investidores que querem apostar nesses projetos. Certamente Minas Gerais vai atrair esses investidores”, afirmou o cônsul britânico em Belo Horizonte, Lucas Brown. Ele citou como exemplos de potenciais investidores grupos britânicos focados na geração de energia solar e biocombustíveis.

O embaixador britânico Peter Wilson observou em discurso que Minas é o primeiro Estado da América Latina e do sul global a aderir à campanha e isso dará destaque ao Estado no exterior. “Os investidores querem evitar riscos. E os riscos ambientais são altos agora”, disse. O embaixador acrescentou que quer uma parceria com o BDMG para incentivar investimentos verdes no Estado.

Também nesta quarta-feira foi assinado um protocolo de intenções entre a Secretaria, o Instituto Estadual de Florestas e a ONG SOS Mata Atlântica, para realizar ações conjuntas para conservação e restauração ecológica de áreas no Bioma Mata Atlântica em Minas Gerais.

Assuntos do Momento

Maior produtor do país na área, RN vai estocar energia eólica
24 de Setembro de 2021
Bioenergia

Maior produtor do país na área, RN vai estocar energia eólica

Empresa EV Brasil assinou protocolo com governo do estado para instalar primeiro projeto do tipo no país, nesta terça-feira (21). Investimento inicial é de R$ 12,5 milhões.

Na ONU, Bolsonaro destaca compromisso com transição energética e matriz brasileira
24 de Setembro de 2021
Compromisso

Na ONU, Bolsonaro destaca compromisso com transição energética e matriz brasileira

Presidente citou compromisso com dois pactos, um para reduzir emissões de carbono e outro para financiar o setor de hidrogênio, e disse que país é destaque na implementação de soluções energéticas sustentáveis

Alta do gás pode abalar transição verde na UE
23 de Setembro de 2021
Meio Ambiente

Alta do gás pode abalar transição verde na UE

Há o temor de que a crise energética tenha impacto sobre a crença no investimento em fontes mais limpas

Água da louça para regar plantação: ciência dá alternativas para agricultura sobreviver com seca e crise hídrica
24 de Setembro de 2021
Alternativa

Água da louça para regar plantação: ciência dá alternativas para agricultura sobreviver com seca e crise hídrica

Bioágua é feita a partir da filtragem das chamadas águas cinzas. Combinação entre diferentes fontes é a solução para pesquisadores, que também apostam no uso da água subterrânea.

BRF conquista certificado de Zero Waste para fábrica de perus na Turquia
24 de Setembro de 2021
Certificado

BRF conquista certificado de Zero Waste para fábrica de perus na Turquia

Documento atesta conformidade da Companhia ao Regulamento turco de Resíduos Zero

Alemanha deve acabar com uso de óleo de palma em biocombustíveis a partir de 2023
24 de Setembro de 2021
Biocombustível

Alemanha deve acabar com uso de óleo de palma em biocombustíveis a partir de 2023

Matéria-prima foi classificada pelo bloco como fator que resulta em desmatamento excessivo e não pode mais ser considerada um combustível renovável para transporte.

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade