Guia Gessulli
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Meio Ambiente

Mercado de carbono florestal bate recordes

Instituto Carbono Brasil
10-Out-2011 12:02 - Atualizado em 20/04/2016 14:42

Enquanto as discussões globais sobre o futuro do Protocolo de Quioto continuam estacionadas, outras opções parecem surgir como uma luz no fim do túnel para a conservação das florestas. Na última semana, a organização Forest Trends lançou um relatório que revela que o mercado de carbono florestal bateu recordes no ano passado, chegando a comercializar US$ 178 milhões.

O documento, intitulado State of the Forest Carbon Markets 2011: From Canopy to Currency (Estado dos mercados de carbono florestal 2011: da cobertura florestal à moeda corrente) e publicado pelo projeto Ecosystem Marketplace, da organização Forest Trends, monitora, relata e analisa as tendências das transações globais de reduções de emissões geradas por projetos de carbono florestal.

Segundo Ellysar Baroudy, que administra o Fundo BioCarbon do Banco Mundial, "essa fonte excelente de informação sobre as transações de mercado da esfera florestal é uma parte vital da nossa visão de longo prazo para apoiar projetos de uso da terra a reduzir emissões de gases do efeito estufa e combater as mudanças climáticas de uma forma ambiental e socialmente responsável".

"O mercado de carbono florestal está ganhando força e é importante parar uma vez por ano, fazer um balanço das realizações atuais, bem como dos desafios, e usar esses dados para se preparar para o futuro", acrescentou.

A análise mostra que o ano de 2010 gerou recordes para os mercados de carbono florestal, recordes que já haviam sido atingidos em 2008 e 2009. De acordo com o relatório, no último ano, foram contratadas 30,1 milhões de toneladas de dióxido de carbono equivalente (MtCO2e) nos mercados de carbono florestal primários e secundários, e essas transações chegaram a um valor de US$ 178 milhões.

"Contratos para compensações de carbono florestal mais do que dobraram nos últimos dois anos, provavelmente devido às discussões políticas internacionais, e ao aumento da preocupação com o papel essencial que florestas têm no sequestro de carbono", explicou Katherine Hamilton, diretora do Ecosystem Marketplace e autora do relatório, em um comunicado à imprensa.

A extensão histórica dos mercados de carbono florestal subiu para 75 MtCO2e, avaliada em cerca de US$ 432 milhões, e os projetos neste setor atingiram mais de 7,9 milhões de hectares de florestas em 49 países do mundo. O preço médio das compensações entre os mercados primários de carbono florestal aumentaram de US$ 3,8/tCO2e em 2008 para US$ 4,5/tCO2e em 2009, chegando a US$ 5,5/tCO2 em 2010.

Além destas informações, o documento indica que o crescimento do mercado de carbono florestal em 2010 foi alavancado por um grande aumento no número de projetos que protegem florestas ameaçadas, e também na quantidade de projetos para promover o manejo florestal.
Os projetos sob o programa de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD) foram os que mais contribuíram para este crescimento, fornecendo 19,5 de um total de 29 MtCO2e, o equivalente a 70% do total contratado no mercado primário.

Cresceu ainda o fluxo de desenvolvedores, investidores e intermediários de projetos do setor privado. Nos anos anteriores, ao contrário, a maioria dos projetos era desenvolvida por organizações de conservação sem fins lucrativos.

"O cenário que surge de uma análise mais profunda da tendência das toneladas contratadas em 2009 e 2010 é fundamentalmente a de um quadro pequeno - mas crescente - de compradores prospectivos e investidores que fazem grandes apostas no futuro dos mercados de carbono florestal", declara o relatório.

"O influxo do investimento do setor privado é uma indicação positiva de que algumas das maiores firmas financeiras têm confiança - ainda que apoiada por um estágio inicial de risco de mercado - de que os projetos de carbono florestal terão um papel significativo no futuro dos mercados de carbono e na redução das emissões de gases do efeito estufa", concordou Steve Baczko, diretor de comercialização para o Ecosystem Restoration Associates Inc. (ERA).

Mas o documento aponta também que o número de projetos para desenvolver o plantio de árvores diminuiu. "Os únicos obstáculos para financiar e comercializar projetos de florestamento e/ou reflorestamento continuam a persistir e reprimir a habilidade dos mercados de carbono de incentivar uma das mais antigas estratégias para melhorar e restaurar a saúde ambiental - plantar árvores", afirma a análise do Ecosystem Marketplace.

No balanço geral, o relatório admite que apesar dos bons indicadores, o mercado de carbono florestal ainda não é seguro."Enquanto o mercado se fixou o suficiente para atrair novos desenvolvedores e investidores para participar, muitos observadores ainda se mantêm cautelosos em meio às incertezas significativas".

"Apesar da crescente confiança acerca de muitas políticas e dos mercados que surgiram, a forma, o tamanho e o alcance futuros do mercado global de carbono florestal se mantêm muito incertos".

David Diaz, coautor do documento, confirmou essa visão de incerteza, e finalizou dizendo que ainda há um longo caminho a ser trilhado. "Esses mercados têm mostrado grandes inovações e crescimento, mas ainda temos um longo caminho para canalizar uma quantidade suficiente de fundos para controlar a perda florestal global, que é uma fonte importante de emissões de gases do efeito estufa".

Assuntos do Momento

Empresa de alimentos investe R$ 150 milhões em usina de geração de energia com biomassa
01 de Dezembro de 2021
Debêntures verdes

Empresa de alimentos investe R$ 150 milhões em usina de geração de energia com biomassa

Unidade vai gerar energia térmica a partir da palha do arroz; empresa criou uma nova subsidiária, a Camil Energia Renovável

Mercado de startups no Brasil cresce quase 30% no setor de energia
03 de Dezembro de 2021
Expansão

Mercado de startups no Brasil cresce quase 30% no setor de energia

Amazonas, Ceará, Distrito Federal, São Paulo e Santa Catarina são os Estados com mais startups voltadas ao setor de energia no país

ABiogás anuncia certificado de biometano e destaca a inauguração de 45 novas usinas em 2021
29 de Novembro de 2021
Descarbonizar

ABiogás anuncia certificado de biometano e destaca a inauguração de 45 novas usinas em 2021

Outro destaque foi a apresentação do Fundo Garantidor do Biogás, primeiro fundo com foco ambiental no Brasil, lançado em setembro pelo The Lab junto com a ABiogás

Relator propõe repasse de 80% dos Créditos de Descarbonização a produtor de biomassa
02 de Dezembro de 2021
Reivindicação

Relator propõe repasse de 80% dos Créditos de Descarbonização a produtor de biomassa

Deputado José Mário Schreiner (DEM-GO) também propõe que produtores rurais tenham o mesmo regime tributário dos produtores de biocombustível

Estudo da CCEE revela que estado de São Paulo tem mais de 17,5 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para o mercado livre de energia
30 de Novembro de 2021
Energia Renovável

Estudo da CCEE revela que estado de São Paulo tem mais de 17,5 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para o mercado livre de energia

São empresas de grande e médio porte como indústrias e shoppings que ainda são abastecidas pelo mercado regulado e que hoje possuem, sozinhas ou em comunhão, carga superior a 500 kW

Disponible en español Disponible en español
Energias renováveis batem recorde mundial, mas ainda não são suficientes
01 de Dezembro de 2021
Carbono Neutro

Energias renováveis batem recorde mundial, mas ainda não são suficientes

Um estudo divulgado pela Agência Internacional de Energia indica que, apesar do recorde batido, o ritmo ainda é insuficiente para colocar o planeta no caminho da neutralidade de carbono

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade