AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Energia Sustentável

Leilão de descontratação cancela empreendimento solar no interior do Estado de São Paulo

Projeto de energia solar fotovoltaica Dracena 3 de 30 MW teve sua energia descontratada

Secretaria de Energia e Mineração
01-Set-2017 15:32

Aconteceu nesta segunda-feira, 28 de agosto, o primeiro leilão de descontratação de energia de reserva realizado no país pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE. O mecanismo resultou no cancelamento de 183,2 megawatts (MW) médios, com prêmio médio pago pelas empresas participantes de R$ 66,02 por MWh em empreendimentos de usinas eólicas e solares contratados em leilões de energia de reserva cuja construção não foi iniciada.

“O resultado desse leilão ratifica o interesse dos investidores em implantar grandes usinas solares em São Paulo, pois a quantidade descontratada corresponde a apenas 11% do total de empreendimentos leiloados para o Estado”, disse o subsecretário de Energias Renováveis da Secretaria de Energia e Mineração, Antonio Celso de Abreu Junior.

No Estado de São Paulo, a usina solar fotovoltaica Dracena 3 de 30 MW teve a construção anulada e a empresa terá que pagar uma multa no valor de R$ 2,3  milhões.

Ao todo, 25 empreendimentos de geração participaram do leilão. Foram reincididos 16 contratos de usinas eólicas e nove solares resultando no ressarcimento de R$ 105.946.076,76 para a Conta de Energia de Reserva – Coner.

Em meio à crise econômica e o fraco consumo de energia, o certame teve como objetivo oferecer uma oportunidade para que as empresas que tiveram problemas e não conseguiram sair do papel cancelassem seus empreendimentos.

Além do pagamento da multa, os participantes que descontrataram ficam impedidos de participar dos dois próximos leilões de energia de reserva.

O prêmio inicial de R$ 33,68/MWh para todas as fontes negociadas teve ágio de 116% nos projetos eólicos (R$ 72,74/MWh) e de 49% nos projetos solares fotovoltaicos (R$ 50,27/MWh).

O certame teve duração de 8 horas e 25 minutos e, no total, foram efetuados 1.262 lances. Não houve descontratação de projetos hidráulicos que estavam cadastrados no mecanismo por meio de Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCH e Centrais de Geração Hidrelétrica – CGHs.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade