Guia Gessulli
16-Abr-2015 10:31 - Atualizado em 20/04/2016 14:54
FIPPPA 2015

Gestão consciente no consumo para produção de suínos e aves e economia de água nos frigoríficos serão destaques na FIPPPA 2015

Trabalho da Embrapa Suínos e Aves e palestrante especialista nas demandas das indústrias apresentarão experiências e estudos voltados ao consumo correto do precioso líquido. Com boa gestão, é possível economia de até 40% de água na produção de suínos

Antes das atuais discussões sobre o melhor consumo da água, devido, principalmente, a situação dos reservatórios pela escassez de chuva e falta de planejamento por parte de governantes, institutos de pesquisa, produtores e industriais já atuavam para uma gestão consciente do consumo desse bem. Na FIPPPA 2015 - Feira Internacional de Produção e Processamento de Proteína Animal, a Embrapa Suínos e Aves e empresas agropecuárias, que investem na otimização e no cuidado ambiental, estarão apresentando as melhores técnicas sobre o assunto. 

A cadeia está preocupada com uma produção mais limpa e sustentável, e é nisso que os estabelecimentos apostam ao investirem no cuidado ambiental e na redução do custo. A Fiedler, empresa de automação industrial e uma das expositoras da FIPPPA 2015, realizará no Pátio do Conhecimento a palestra "Soluções Inteligentes com Automação para Economia de Água dentro do Frigorífico". Realizado pelo consultor técnico da Fiedler, o engenheiro Marcos Aurélio Kuchenbecker, o evento destacará soluções em que foram possíveis, por exemplo, economizar na fábrica dois litros de água por frango, o que pode implicar na economia de 10% do consumo. 

O objetivo principal da palestra é racionalizar o consumo de água na planta de frigorífico, pois é possível trabalhar soluções com equipamentos de alta confiabilidade. 

Água na produção de proteína animal

Coordenador do projeto "Gestão da Água", o pesquisador da Embrapa Suínos e Aves - também participante da FIPPPA -  Paulo Armando de Oliveira, afirma ser possível, com a utilização de boas práticas, reduzir o consumo de água na produção de suínos. E isso apontou o projeto, que tem como objetivo levantar fatores relacionados ao consumo de água nas diversas fases do animal, além da análise da produção de dejetos e emissão de gases. Nesse estudo, são analisadas características quantitativas, impacto, manejo ambiental etc. 

"O projeto surgiu da ideia que todo e qualquer desperdício de água acarreta um aumento no custo de produção. Um litro de água gasto a mais por dia, por suíno, se multiplicado por mil suínos, dá mil litros de água gastos por dia. Por que ter esse desperdício?", destaca Paulo de Oliveira.

Além da redução do custo, o uso de boas práticas garante um controle ambiental. No caso dos suínos, as fases de crescimento e terminação (que corresponde ao aumento de peso de 22 kg a 110 kg) são os períodos em que o animal consome aproximadamente 70% de água e produz 70% de dejeto. Caso o criador use boas práticas de produção, o que inclui a gestão da água, pode ser reduzido de 20% a 40% de água comparado ao que não usa as boas práticas, já que reduz a lavação diária dos ambientes, realiza um controle das vazões dos bebedouros, entre outros pontos. 

Já o pesquisador Paulo Rosa, também da Embrapa Suínos e Aves, reforça sobre em quais momentos são possíveis fazer a economia na avicultura. "Normalmente, os frangos consomem de 2,5 a três vezes mais água do que ração. Durante a vida útil, que leva em média de 42 a 45 dias, o frango consome de cinco a seis quilos de ração". Ou seja, cada frango pode consumir até 18 litros de água. Por isso, em relação à produção, por ocorrer uma ligação direta entre consumo de água e de ração, quanto mais água ele consumir, mais ração irá comer e maior será o ganho de peso. "A ração é muito seca, formada por 88% de matéria seca, por isso necessita beber mais água", explica Rosa. 

No entanto, com a gestão consciente da água, é possível economizar água nas demais estruturas da granja, isto é, na lavação das instalações, na manutenção dos equipamentos e no controle da vazão da água, desde que não dificulte o consumo da ave. "Além disso, há casos de produtores que estão mais conscientes e constroem reservatórios para captação de água da chuva para lavar as instalações e, em períodos de seca, as aves consumirem". 

Rosa também explica que as indústrias, há alguns anos, estão preocupadas com o consumo da água. Para o abatimento de uma ave, se utiliza de 15 a 20 litros de água, em média. "De uns 15 anos para cá, os abatedouros mais modernos fazem uma reciclagem dessa água, sendo que mais de 90% dela pode ser reutilizada". 

Recorde

Surpreendendo os organizadores, a FIPPPA deve bater recorde de público. É o que indica os acessos ao site do evento, o número de credenciamentos online e as inscrições para os seminários técnicos já realizados. O conceito inovador da FIPPPA tem surpreendido o público, sempre atento às novidades e ao conteúdo abrangente do evento. De janeiro até o dia 8 de abril de 2015, o número de acessos ao site registrou crescimento de 30% em relação aos acessos registrados de outubro a novembro de 2014.

Já os credenciamentos online de visitantes acumulam alta de 20%, na comparação com os números obtidos pela AveSui e Tecno Food Brazil em 2014. As inscrições para os seminários técnicos também registram crescimento, confirmando as expectativas de presença de público qualificado durante os três dias do evento. Os números expressivos também são constatados com o crescimento das caravanas agroindustriais de visitação provenientes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, além de grupos internacionais oriundos de países como Peru, Vietnã, África do Sul, Índia, Equador, República Dominicana, entre outros países. 

Sobre a FIPPPA

A FIPPPA 2015 é o resultado da união das empresas Gessulli Agribusiness e G5 Promotrade, organizadoras, respectivamente, da AveSui América Latina e Tecno Food Brazil, as duas maiores feiras latino-americanos de produção e processamento de carnes. Inaugurando no país um conceito inovador, a FIPPPA é um evento completo e horizontal que congrega todos os elos da cadeia de proteína animal, da produção ao processamento, do campo à mesa. A feira será realizada de dois em dois anos, atendendo uma antiga reivindicação de representantes dos mercados de aves, suínos e leite, que pediam um evento coeso, completo e bienal. 

Serviço

FIPPPA - Feira Internacional de Produção e Processamento de Proteína Animal

28 a 30 de abril de 2015

EXPOTRADE Convention Center

Curitiba (PR) 

Realização

G5 Promotrade

(41) 3669-8412

[email protected] 

Gessulli Agribusiness

(11) 2118-3133

[email protected]

Assessoria de Imprensa FIPPPA
Deixe seu Recado