AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Desenvolvimento

Geração solar deve crescer 60% este ano

Investimento previsto chega a R$ 22 bilhões, estima associação do setor

Redação com informações de Valor
24-Ago-2021 10:49

O Brasil deve encerrar o ano com 12,5 gigawatts (GW) de potência operacional em geração de energia solar fotovoltaica, de acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), alta de 60% em relação a 2020. Até agora, o país já ultrapassou a marca de 10 GW de potência, com adição de 2,2 GW à matriz até meados de agosto.

As usinas de grande porte representam 3,5 GW de capacidade instalada, o equivalente a 1,92% da matriz energética do país. O segmento de geração
distribuída, que inclui pequenos e médios sistemas de painéis instalados em telhados, fachadas e terrenos somam 6,5 GW.

Considerando as duas modalidades, os investimentos previstos para este ano na geração de energia fotovoltaica são de R$ 22 bilhões, um valor recorde. Desde 2012, os investimentos em energia solar somam R$ 52,7 bilhões.

Rodrigo Sauaia, CEO da Absolar, disse que os investimentos acelerados têm por meta atender a demanda aquecida. “Com a crise hídrica, os brasileiros têm buscado alternativas para reduzir os gastos, e a energia solar aparece como uma opção econômica e que dá mais autonomia para o consumidor”, disse Sauaia.

Atualmente, dos 87,5 milhões de consumidores atendidos pelas distribuidoras de energia, 700 mil fazem uso da geração própria de energia solar, ou 0,8% do total. “Já
avançamos, mas ainda temos muito a avançar. Na Austrália, por exemplo, uma em cada cinco casas gera a própria energia”, comparou Sauaia.
De acordo com dados da Agência Internacional de Energia Renovável (Irena, na sigla em inglês), o país em 2020 era o 16º em capacidade instalada de geração de energia solar no mundo. Com o aumento registrado neste ano, o país sobe para o 14ª lugar.

Esse ranking é liderado por China, Estados Unidos, Japão, Alemanha e Índia. No Brasil, a energia fotovoltaica é a quinta em capacidade instalada no país, respondendo por 1,92% da matriz energética, segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Ela fica atrás da energia hidrelétrica (57,76%), termelétrica (25,03%), eólica (10,6%) e pequenas centrais hidrelétricas (3,10%).

Mas, se forem considerados os empreendimentos em construção, a energia fotovoltaica responde por 19,07% dos projetos, perdendo para termelétricas (28,85%) e eólicas (38,91%). “Até 2050, a projeção dos analistas de mercado é que a energia solar será a fonte número um da matriz energética do Brasil, respondendo por 32%, ante 30% das hidrelétricas”, afirmou Sauaia.

Para os próximos anos, disse o executivo, a expansão dos investimentos em energia fotovoltaica vai depender de dois fatores: realização de novos leilões de compra de
energia renovável pelo governo federal e do marco regulatório para a geração própria de energia.

Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou por 476 votos a 3 o projeto de lei 5.829/2019, que cria o marco legal da geração distribuída. O texto segue para aprovação no Senado. A expectativa da indústria é que o projeto seja aprovado neste ano.

Em relação aos leilões, a Absolar considera que o governo federal tem contratado pouca energia solar em relação a outras fontes, apesar de ter o menor preço. Os preços da energia solar nos últimos quatro leilões variaram entre R$ 67,48 e R$ 136,31 o megawatt-hora (MWh). A Aneel autorizou a compra de energia de termelétricas a preços que chegam a R$ 1,5 mil por MWh.

Sauaia disse que o governo trabalha com preços de referência de energia solar antigos. “O governo precisa atualizar seus modelos de cálculo. Hoje a energia solar é a fonte mais competitiva que o Brasil tem”, afirmou.

Assuntos do Momento

Usina de biogás em Macaé transforma lixo em energia
30 de Junho de 2022
Energia Limpa

Usina de biogás em Macaé transforma lixo em energia

Macaé converte o gás metano, tóxico para a atmosfera, em energia limpa. Inauguração da usina faz parte do Mês do Meio Ambiente

Biogás pode ser a solução energética limpa e adequada para a Amazônia
04 de Julho de 2022
Autossuficiência

Biogás pode ser a solução energética limpa e adequada para a Amazônia

Geração de energia por esse tipo de recurso, que pode ser obtida por diferentes matérias-primas, conta com financiamento garantido pelo Banco da Amazônia, podendo atender empresas e comunidades

Bunge Bioenergia abre processo seletivo em cinco estados brasileiros
04 de Julho de 2022
Oportunidades

Bunge Bioenergia abre processo seletivo em cinco estados brasileiros

Há chances para estudantes de diversas áreas interessados nos Programas de Estágio ou Jovem Aprendiz da empresa

Energia solar é um dos mercados mais promissores entre as energias renováveis
04 de Julho de 2022
Solar

Energia solar é um dos mercados mais promissores entre as energias renováveis

Facilidades de financiamento a partir de bancos e cooperativas são vantagens estratégicas que ampliam potencial de crescimento

Vestas fornecerá turbinas eólicas para novo parque eólico em Pernambuco
04 de Julho de 2022
Eólica

Vestas fornecerá turbinas eólicas para novo parque eólico em Pernambuco

O novo empreendimento de energia eólica na região de Pernambuco contará com 19 turbinas V150-4,5MW que a Vestas fornecerá e instalará na região

Países da União Europeia concordam em encerrar venda de novos carros a combustão até 2035
30 de Junho de 2022
Carbono Neutro

Países da União Europeia concordam em encerrar venda de novos carros a combustão até 2035

A proposta da Comissão Europeia deve contribuir para alcançar os objetivos climáticos do continente, em particular a neutralidade carbônica no horizonte de 2050

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade