AveSui2021
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Bioenergia

Geração solar a caminho de leilões

Valor Economico
01-Set-2011 11:04 - Atualizado em 20/04/2016 14:41

Depois do sucesso que foi a inclusão da energia eólica na matriz brasileira, com diversas fábricas de aerogeradores se instalando no país, começam os primeiros movimentos de forma mais orquestrada para que também a energia solar seja uma alternativa viável. Já há investidores como a Rio Alto Energia com projetos que poderiam ter competido no último leilão do governo federal, em que a própria eólica foi negociada a menos de R$ 100 o MWh. Para se ter ideia do tamanho da ambição, na Espanha o preço da energia solar gira em torno de € 300 o MWh.

O projeto da Rio Alto não foi habilitado, segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim, porque não há ainda previsão legal para a participação desse tipo de energia, apesar de a empresa ter tentado se cadastrar como térmica movida a biomassa. Tolmasquim ainda é um pouco cético sobre a questão do preço que, segundo ele, é o entrave para que se faça um leilão específico para solar, a exemplo do que se fez no primeiro leilão de eólica. Mas acrescenta: "É questão de tempo para a solar participar dos leilões. Falta massa crítica, projetos suficientes para um leilão".

O projeto da Rio Alto, dos empresários Rafael Brandão, Sergio Reinas e Edmond Farhat, prevê uma usina termo solar no sertão da Paraíba com capacidade de gerar 50 megawatts (MW). A estimativa de investimentos é de R$ 350 milhões e recentemente o grupo fechou parceria com o Banco Paulista para o empreendimento. "Teríamos tido condições de competir no último leilão até o fim", disse Reina. "Já temos licença de instalação emitida, negociações com fornecedores como a Siemens caminhando e também de financiamento com o Banco do Nordeste." O projeto está em fase avançada e a negociação com fornecedores para as turbinas solares também caminha a passos largos. A Siemens estuda a possibilidade de até mesmo fabricar esse tipo de equipamento no país.

AveSui2021_dentro

Os empresários dizem que o motivo de se conseguir no Brasil um preço mais competitivo que a Europa está no custo da terra, que no sertão da Paraíba não tem uso produtivo; na fabricação brasileira dos equipamentos; no projeto termo solar, que é diferente do fotovoltaico (usado principalmente em residências); na pequena distância para conexão à rede (cerca de quatro quilômetros da subestção da Chesf); e ainda da alta produtividade (cerca de 60%).

A produção em grande escala de energia solar requer grandes pedaços de terra. Para o projeto Coremas, da Rio Alto, são cerca de 60 hectares. Para ter o fator de capacidade de 60%, a energia é gerada durante 12 horas, sendo parte com energia direta do sol e outra parte com o uso de biomassa. No sertão paraibano há grande quantidade de dejetos de coco, que podem ser usado como combustível na usina. O preço não prevê um segundo uso da unidade.

A ideia é fazer uma espécie de estufa, com as turbinas solares ficando cerca de dois metros acima do solo e possibilitando a plantação na área. Segundo os executivos da Rio Alto, esse tipo de uso das unidades termo solares é super comum nos Estados Unidos. Será inclusive de lá que será trazida a tecnologia de polímero flexível, que substitui o espelho nessas unidades termo solares. A empresa tem ainda em projetos outros 250 MW para serem desenvolvidos.

Assuntos do Momento

Avança a cooperação técnica entre a Castrolanda e as Nações Unidas
14 de Janeiro de 2021
Energia limpa

Avança a cooperação técnica entre a Castrolanda e as Nações Unidas

Cooperativa, através do Setor de Energia, tem buscado alternativas sustentáveis com relação ao desenvolvimento do biogás em suas regiões de atuação.

Governo vai lançar plano para incentivar fontes alternativas de energia no campo
18 de Janeiro de 2021
Incentivo

Governo vai lançar plano para incentivar fontes alternativas de energia no campo

Uso do biogás e energia solar serão estimulados para reduzir passivo ambiental e custos dos produtores

AveSui2021_dentro
Nordex fecha venda de turbinas para parque eólico da Statkraft no Brasil
14 de Janeiro de 2021
Energia eólica

Nordex fecha venda de turbinas para parque eólico da Statkraft no Brasil

A Nordex disse que o negócio fechado junto à Statkraft envolverá turbinas eólicas de seu modelo N163/5.X que somarão capacidade total de 518,7 megawatts.

Siemens Gamesa e Siemens Energy inauguram uma nova era de produção offshore de hidrogênio verde
14 de Janeiro de 2021
Hidrogênio Verde

Siemens Gamesa e Siemens Energy inauguram uma nova era de produção offshore de hidrogênio verde

Iniciativa representa um passo importante para desenvolver um sistema em escala industrial capaz de produzir hidrogênio verde a partir de ventos offshore

ENGIE inicia implantação de Conjunto Eólico no Rio Grande do Norte
18 de Janeiro de 2021
Eólica

ENGIE inicia implantação de Conjunto Eólico no Rio Grande do Norte

O Conjunto Eólico Santo Agostinho tem investimento previsto da ordem de R$ 2,2 bilhões

Estudantes brasileiros desenvolvem app voltado à redução de emissão de carbono
18 de Janeiro de 2021
Inovação

Estudantes brasileiros desenvolvem app voltado à redução de emissão de carbono

Tecnologia brasileira é uma das finalistas do desafio Nasa Space Apps Challenge, competição da agência espacial americana para tecnologia e inovação

Mais assuntos do momento