10-Jan-2018 14:10 - Atualizado em 10/01/2018 15:11
Tecnologia

Energia solar se torna solução em granjas

Cada vez mais o setor vem se aperfeiçoando e inserindo tecnologias que garantem o avanço ininterrupto do segmento

Considerado um dos segmentos mais proeminentes na economia nacional, o agronegócio tem seus segredos para estar em constante ascensão no Brasil. Um exemplo dessa potência é a avicultura brasileira, um dos principais braços do setor, que tem cuidado a cada dia para manter-se no topo do ranking dos maiores exportadores de carne de ave do mundo. No entanto, com a chegada da primavera e do verão, épocas do ano com maior índice de chuvas repentinas e quedas de energia, algumas empresas localizadas em áreas rurais, como granjas, entram em estado de alerta.

Essa preocupação chega com um objetivo aparentemente simples: não deixar os criadouros sem energia suficiente para garantir a temperatura ideal aos animais, fator importante para o sucesso da produção animal. Mas a principal pergunta para suprir essa necessidade é: como garantir energia nestes ambientes, ainda mais nessas estações do ano?

De acordo com o diretor de marketing e comercial da NHS, Ronaldo Paiva, empresa especializada na fabricação de inversores destinados ao mercado de energia solar, uma das alternativas é a instalação de sistemas fotovoltaicos, que ajudam a gerar energia através da captação da luz do sol.

“As principais indústrias do agronegócio, hoje, contam com equipamentos eletrônicos sofisticados em suas unidades operacionais, como granjas e criadouros. E como todos estes equipamentos precisam de energia para funcionar é importante que estas empresas se adaptem para que não haja falta de energia e a produção animal continue com o status de excelência”, comenta o executivo.

Novidades para o futuro

Segundo Ronaldo, já no primeiro semestre de 2018, a empresa disponibilizará ao mercado os primeiros modelos de inversores solares híbridos. O equipamento, junto ao sistema fotovoltaico e baterias, vai possibilitar ao consumidor a geração e o armazenamento de energia para o consumo no período noturno.

“Existe uma grande expectativa do mercado para este novo produto, previsto para meados do início do próximo ano. Além de garantir autonomia de energia no período da noite, mesmo sem o fornecimento da concessionária, o sistema vai reduzir significativamente os gastos com energia”, conclui Ronaldo.

Ascom
Deixe seu Recado