AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Energia Solar

Energia solar em telhados brasileiros chega a 10 gigawatts e tem crescimento de 100% no último ano

Energia solar em telhados brasileiros chega a 10 gigawatts e tem crescimento de 100% no último ano

Redação com informações de Assessoria
08-Abr-2022 17:00

A potência instalada de energia solar em telhados e pequenos terrenos praticamente dobrou nos últimos 12 meses no Brasil. Segundo mapeamento do Portal Solar Franquias, a capacidade acumulada dos painéis fotovoltaicos instalados pelos consumidores saltou de 5 gigawatts em abril de 2021 para 10 gigawatts neste início de mês, um crescimento de 100% no período.     

De acordo com a análise do Portal Solar, baseada em dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) e da Agência Nacional de Energia Elétricas (Aneel), os investimentos e a geração de empregos no setor de geração própria de energia solar também seguem a mesma curva de crescimento. Em abril do ano passado, os recursos aportados eram da ordem de R$ 24 bilhões, com cerca de 150 mil postos de trabalho ativos. Já neste mês, os aportes acumulados atingiram R$ 52 bilhões e mais de 300 mil empregos gerados desde 2012.  
 
Segundo o CEO do Portal Solar, Rodolfo Meyer, o mercado de energia solar tem se mostrado cada vez mais resiliente diante dos desafios impostos pela pandemia de Covid-19 e mais recentemente pela guerra da Rússia na Ucrânia. “Enquanto muitos setores perderam receita nos últimos 12 meses, quem estava no segmento solar viu as suas vendas aumentarem no período. A evolução desse mercado confirma que, cada vez mais, os consumidores brasileiros tomam consciência da necessidade de buscar soluções sustentáveis para enfrentar as elevadas tarifas de energia elétrica e as mudanças climáticas”, avalia.
 
“A tecnologia solar fotovoltaica oferece aos consumidores a oportunidade de contribuir com a redução dos gases poluentes causadores das mudanças climáticas e transforma uma despesa com a conta de luz em um investimento com retorno em 5 anos”, afirma Meyer. “Após esse período, a energia se torna praticamente de graça”, completa Meyer.
 
Para 2022, a projeção do executivo, que acaba de ser reeleito para mais quatro anos no Conselho de Administração da ABSOLAR, é de uma aceleração ainda maior, muito em razão da aprovação do marco legal da geração própria de energia, a Lei 14.300/2022, que trouxe previsibilidade e segurança jurídica para o mercado.
 
“Estamos em um ritmo de crescimento acelerado mesmo com as adversidades do cenário econômico nacional. Para 2022, nem mesmo a elevação dos preços dos equipamentos deverá parar a energia solar no Brasil”, afirmou Meyer.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade