Guia Gessulli
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Projeto de Lei

Energia Solar deve gerar mais de 257 mil postos de trabalho no país

Atualmente em debate no Congresso Nacional, o Projeto de Lei (PL 5829/2019) prevê a criação de um marco legal para a geração distribuída no Brasil

Redação, com informações assessoria
28-Mai-2021 11:09


Atualmente em debate no Congresso Nacional, o Projeto de Lei (PL 5829/2019) prevê a criação de um marco legal para a geração distribuída no Brasil. Para o setor, a nova legislação pode ser uma oportunidade para aquecer não só o mercado de energia solar, mas também aampliar a geração de empregos.

"A energia solar na geração distribuída traz importantes benefícios sociais, econômicos, ambientais para a toda a sociedade. A Renovigi é favorável à criação de um marco legal regulatório para o setor. A aprovação deste PL é imprescindível para a retomada da economia e a criação de novos postos de trabalho ligados à energia solar", afirma Gustavo Müller Martins, Presidente do Conselho de Administração e CEO da Renovigi.

A Renovigi possui mais de 1 milhão de painéis solares já instalados no país. Criada em 2012 e com marca própria em seus produtos, a companhia tem como missão tornar o mundo mais sustentável. Atualmente, já são 9 mil credenciados da empresa em todo o Brasil.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), de 2012 a 2020, foram criadas 155.309 vagas no mercado de geração de energia solar. A contratação total em 2020 atingiu a marca de 60 mil trabalhadores. Para 2021, a projeção é que este número chegue a 257.916. Ou seja, aumento de 60%.

No total, são mais de 3,6 GW de potência instalada de geração distribuída a partir de fontes de energia solar em todo o país, o que representa mais de R$ 18,2 bilhões em investimentos acumulados desde 2012. Os números são expressivos e refletem a extensão de adeptos que já fazem uso dessa fonte de energia inesgotável, limpa e sustentável.

"Com a regulamentação promovida pela PL 5829, a tendência é de que, nos próximos anos, o setor gere ainda mais empregos, sendo relevante na retomada da economia no país", conclui Martins.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade