04-Out-2017 13:30
Sustentabilidade

Empresas assinam acordo de desenvolvimento para transformar CO2 em excesso em metanol

Novo processo, economicamente viável, de unidades de produção descentralizadas e de pequena escala, permite a transformação em energia química armazenável

A BASF e a bse Engineering celebraram um acordo exclusivo de desenvolvimento conjunto para que a BASF forneça catalisadores, feitos sob medida, para um novo processo de armazenamento de energia química. Este processo, economicamente viável, permitirá a transformação da corrente em excesso e do CO2 off gas em metanol para armazenamento de energia química em unidades de produção de pequena escala descentralizadas.

A geração de corrente a partir de fontes de energia renovável, como usinas eólicas ou de energia solar, gera uma sobrecorrente em períodos que os clientes não necessitam. Normalmente, é difícil conseguir utilizar a corrente em excesso no momento em que ela é gerada. Seu uso efetivo é essencial para que a produção de energia a partir de fontes renováveis seja economicamente viável.

Algumas plantas de produção industrial, como metalúrgicas, incineradoras ou usinas a carvão, geram CO2. A redução deste gás, promotor do efeito estufa, é um dos principais objetivos definidos no Acordo de Paris sobre Mudança do Clima de 2015.

O novo processo, desenvolvido pela bse Engineering, permite o uso sustentável da sobrecorrente e do CO2, por meio de unidades de pequena escala, descentralizadas, construídas nos locais onde os dois componentes são gerados, ou seja, perto de centrais elétricas que usam fontes renováveis de energia e grandes fábricas industriais que produzem CO2. A corrente em excesso será usada para produzir hidrogênio por meio de eletrólise descontínua. Em um segundo passo, acontece a produção do metanol, a partir do CO2 e do hidrogênio, o que valoriza a corrente em excesso e o CO2 da corrente off gas.

No segundo processo, os catalisadores da BASF serão usados para a síntese de metanol. Os catalisadores foram calibrados e adaptados para este processo específico, para uma produção mais eficiente de metanol.  O metanol é um dos produtos químicos básicos mais importantes usados em diversas aplicações industriais. Por exemplo, em alguns países ele é misturado ao diesel ou à gasolina.

“Estamos felizes por participar deste empolgante empreendimento, contribuindo de maneira relevante para uma solução concreta utilizando a sobrecorrente e CO2 como matérias-primas”, afirma Adrian Steinmetz, vice-presidente de Catalisadores Químicos da BASF. “Aproveitaremos nosso know-how e expertise sobre catalisadores para desenvolver uma resposta sustentável utilizando novas fontes de energia e CO2 como material”.

“A cooperação entre a BASF e a bse Engineering é outro exemplo de nossa colaboração frutífera com empresas de engenharia e manufaturas. Assim, contribuímos com nosso know-how único, como líder mundial na produção de catalisadores, para facilitar os novos processos e as tecnologias inovadoras de amanhã”, considera Detlef Ruff, vice-presidente sênior de Catalisadores de Processo da BASF.

“Depois de passar quatro anos desenvolvendo o conceito global do processo, estamos prontos para entrar na fase de licenciamento e logo começaremos a construção das primeiras usinas”, afirma Christian Schweitzer, diretor executivo da Bse Engineering. “A implantação desse processo tem a garantia de marcas líderes internacionais das respectivas unidades de serviço e peças, por meio de um consórcio composto pela Aker Solutions ASA, Sulzer Chemtech AG, InfraServ GmbH & Co. Knapsack KG, sob a liderança da bse Engineering. Temos muito orgulho de trabalhar com uma empresa líder, experiente e inovadora como a BASF no aperfeiçoamento dos catalisadores de alta tecnologia, transformando nossa visão em realidade”.

Ascom
Deixe seu Recado