AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Mercados

Embrapa Agroenergia articula parcerias internacionais

Agora MS
02-Jul-2012 13:46 - Atualizado em 20/04/2016 14:43

Na agenda de parcerias internacionais de 2012, a Embrapa Agroenergia está priorizando a construção de projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação com o ARS/USDA (Estados Unidos) e com o CSIRO (Austrália).

Durante a viagem aos Estados Unidos, que aconteceu em maio, foram definidos dois temas com foco em colaboração, adianta Manoel Souza, Chefe-geral da Embrapa Agroenergia. Um deles é a pirólise rápida de biomassa, linha de pesquisa do Eastern Regional Research Center (ERRC), unidade do ARS localizada em Wyndmoor,Pennsylvania.

O processo de pirólise rápida tem sido estudado sob a perspectiva de adensamento energético, com potencial impacto positivo na viabilização da utilização de biomassa como fonte de energia e de outros produtos por meio da implementação de uma logística favorável de coleta, pré-tratamento e transporte para o local de processamento (unidades centralizadas de maior escala). Esse processo gera o óleo de pirólise (bio-óleo), que pode ser utilizado como óleo combustível para caldeiras ou constituir matéria-prima para a produção de calor, eletricidade, produtos químicos e biocombustíveis líquidos. O resíduo sólido carbonoso (biochar) tem potencial para aplicação como condicionador de solo, além de ser uma mistura gasosa cuja queima pode fornecer a energia necessária para o processo de pirólise.

A Embrapa Agroenergia desenvolve processos de pirólise e de gaseificação de biomassa florestal em planta piloto para a produção de bio-óleo, resíduo sólido carbonoso e gás de síntese, dentro do projeto "Florestas Energéticas - Produção e conversão sustentável de biomassa", liderado pela Embrapa Florestas. Também dentro deste projeto, as ações elegidas como foco da parceria com o ERRC são lideradas pela Embrapa Agroenergia.

Por meio do Programa de Conversão Termoquímica de Biomassa, o ERRC desenvolve pesquisas em pirólise catalítica e não catalítica para a produção de biocombustíveis a partir de resíduos agrícolas e culturas energéticas. Também tem iniciativas relacionadas à produção e à aplicação do biochar. Ambas as atividades de pesquisa são prioridades nacionais na missão crítica do ARS para alcançar a independência no suprimento de combustíveis líquidos nos Estados Unidos e para resolver as questões de sustentabilidade ambiental global. Diversos projetos encontram-se, atualmente, em execução nesse tema, constituindo oportunidades para o estabelecimento de parcerias com a Embrapa.

Com etanol de 1ª geração, a colaboração será com a unidade de Illinois, visando à identificação de microrganismos contaminantes do processo de fermentação e à definição de ações em pesquisa para solucionar esse gargalo. "Esse é um gargalo para ambos os países", diz Manoel Souza.

Na construção dessa parceria, o chefe-geral e o Chefe de P&D, Guy de Capdeville, a Unidade contou com suporte da equipe do Labex Estados Unidos.

Em julho, a Embrapa Agroenergia receberá o pesquisador do ARS, Akwasi Boateng que, junto com a equipe do Laboratório Processos Químicos, elaborará um plano de trabalho para os próximos três anos. A proposta envolverá, entre as ações, a ida de pesquisadores e analistas desse laboratório para fazer pós-doc no ARS.

Austrália - Em agosto, o Chefe-geral e mais dois pesquisadores visitarão o CSRO, visando a conhecer os trabalhos com genética molecular e engenharia genética de cana-de-açúcar para aumento da produção de biomassa. Também está programada visita ao Centro de Fenômica de Planta da Austrália.

"Apesar da pequena área, as pesquisas com cana-de-açúcar na Austrália estão em estágio avançado, fazendo com que esse país seja um parceiro estratégico para o Brasil e, consequentemente, para a Embrapa", enfatiza Manoel Souza. "As pesquisas são a chave para manter um país no mercado internacional", reforça.

Pelo fato da Austrália estar localizada próxima aos países centro de origem da cana-de-açúcar, este possui amplo banco de germoplasma do complexo Saccharum. Desta forma, o intercâmbio de materiais entre os países será fundamental para ampliação da base genética do Brasil. Os pesquisadores brasileiros visitarão centros de pesquisas com cana-de-açúcar, visando a possíveis parcerias.

Assuntos do Momento

Usina de biogás em Macaé transforma lixo em energia
30 de Junho de 2022
Energia Limpa

Usina de biogás em Macaé transforma lixo em energia

Macaé converte o gás metano, tóxico para a atmosfera, em energia limpa. Inauguração da usina faz parte do Mês do Meio Ambiente

Biogás pode ser a solução energética limpa e adequada para a Amazônia
04 de Julho de 2022
Autossuficiência

Biogás pode ser a solução energética limpa e adequada para a Amazônia

Geração de energia por esse tipo de recurso, que pode ser obtida por diferentes matérias-primas, conta com financiamento garantido pelo Banco da Amazônia, podendo atender empresas e comunidades

Bunge Bioenergia abre processo seletivo em cinco estados brasileiros
04 de Julho de 2022
Oportunidades

Bunge Bioenergia abre processo seletivo em cinco estados brasileiros

Há chances para estudantes de diversas áreas interessados nos Programas de Estágio ou Jovem Aprendiz da empresa

Energia solar é um dos mercados mais promissores entre as energias renováveis
04 de Julho de 2022
Solar

Energia solar é um dos mercados mais promissores entre as energias renováveis

Facilidades de financiamento a partir de bancos e cooperativas são vantagens estratégicas que ampliam potencial de crescimento

Vestas fornecerá turbinas eólicas para novo parque eólico em Pernambuco
04 de Julho de 2022
Eólica

Vestas fornecerá turbinas eólicas para novo parque eólico em Pernambuco

O novo empreendimento de energia eólica na região de Pernambuco contará com 19 turbinas V150-4,5MW que a Vestas fornecerá e instalará na região

Países da União Europeia concordam em encerrar venda de novos carros a combustão até 2035
30 de Junho de 2022
Carbono Neutro

Países da União Europeia concordam em encerrar venda de novos carros a combustão até 2035

A proposta da Comissão Europeia deve contribuir para alcançar os objetivos climáticos do continente, em particular a neutralidade carbônica no horizonte de 2050

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade