AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Créditos de Descarbonização

Em ano de incertezas para o biodiesel, setor fecha com 29 empresas negociando CBios

Duas empresas novas somaram ao setor de biodiesel no RenovaBio em 2021

Redação com informações de Money Times
08-Nov-2021 14:00

Com a taxa de mistura ao diesel de 10% desde março, e sem garantia de volta ao padrão de 13%, e diante do fim dos leilões a partir de janeiro que darão lugar às negociações diretas, o setor de biodiesel vai fechar o ano com 29 empresas aderentes ao RenovaBio.

Em 2021, ano de incertezas, tanto quanto o próximo, foram somente duas que se habilitaram, a Olfar, de Erechim (RS), e a Caramuru, unidade de Sorriso (MT), e passaram a negociar os Créditos de Descarbonização (CBios), na B3 (B3SA3).

Nesta segunda (8), cada CBio está sendo negociado entre R$ 45 e R$ 46.

A Caramaru Alimentos, uma das principais empresas brasileiras integradas de grãos – exportação, logística, marcas de varejo (Sinhá), biocombustível e outros derivados -, tinha previsão de emitir até 86,2 mil títulos até o final do ano, segundo a Vertente Invest, que a assessorou.

Em receita, pela média dos negócios, a estimativa é de R$ 2,64 milhões.

No total estimado pela soma de todas as fabricantes de biodiesel, sendo a soja e gordura animal as duas principais origens, é 6,67 milhões de CBios.

Há pouco menos de dois meses para finalizar o ano, corresponderia a 1/4 da meta de 25,2 milhões determinada pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE).

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade