04-Jun-2018 14:17
Sustentabilidade

Eficiência energética para empresas: uma conquista ao alcance das mãos

por Andrew Fortunato

Com o advento de uma infinidade de novas tecnologias nos últimos anos, atingir a tão almejada eficiência energética nunca foi tão acessível para empresas de todos os portes e setores.

Há décadas, gestores de todo o mundo passaram a compreender a importância de encontrar formas melhores de utilizar a energia. Entretanto, durante muito tempo se acreditou, erroneamente, que adotar práticas nessa direção era impossível (ou inviável). Essa crença se apoiava na também errada ideia de que a utilização racional de energia comprometia o rendimento produtivo.

Hoje, mais do que nunca, já se sabe que as soluções sustentáveis representam exatamente o contrário, fornecendo aquilo que qualquer empresa – bem como a sociedade de forma geral – precisa: economia, performance e redução do impacto ambiental.

Empresas hoje podem lançar mão de um vasto leque de recursos para economizar energia maximizando o lucro no processo. Os aparelhos eletrônicos fabricados atualmente já consomem cada dia menos energia, mas essa redução ainda pode ser potencializada com dispositivos chamados economizadores inteligentes de energia.

Muito populares na Europa, essas ferramentas estão ganhando terreno pelo Brasil. Com funcionamento simples, eles proporcionam uma economia de até 70% no consumo de energia elétrica, através da habilitação e desabilitação (on-off) dos circuitos elétricos nos quais forem instalados.

Assim, com acionamento via leitura de cartão RFID, esse mecanismo é capaz de desligar até quadros de energia, cortando, por exemplo, o fornecimento de luz em ambientes que não estão sendo utilizados, televisões, tomadas e ar-condicionado.

Por conta da praticidade e redução de custos envolvidos, os economizadores são ideais para estabelecimentos como hoteis e pousadas, consultórios médicos, escritórios e indústrias, mas são aplicáveis em basicamente qualquer tipo de empreendimento. Altamente eficientes, eles asseguram o retorno de investimento em até um ano.

Além disso, eles podem ser combinados com outros sistemas integrados que agregam inteligência e automação à gestão dos estabelecimentos, aumentando desempenho com redução significativa de gastos em médio e longo prazo. Exemplos dessa convergência são as fechaduras eletrônicas que possuem sistema de armazenamento de dados e diversas opções de ativação, inclusive via um cartão que dá acesso a todos os espaços do empreendimento, da catraca aos elevadores e portas. Acessíveis e de baixo custo de manutenção, tecnologias como essas aperfeiçoam a rotina de qualquer empresa.

Andrew Fortunato é diretor da Entersec

Ascom
Deixe seu Recado