AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Meio Ambiente

Desfile de carnaval da Unidos de Vila Isabel, com apoio da BASF, terá emissões de carbono neutralizadas

Assessoria de Imprensa BASF
23-Jan-2013 14:53 - Atualizado em 20/04/2016 14:43

Este ano a Vila Isabel abordará a importância da agricultura brasileira sob o tema “A Vila canta o Brasil celeiro do mundo – água no feijão que chegou mais um...”, dando ênfase ao potencial agrícola brasileiro frente à crescente demanda mundial por alimentos e energia. O enredo escolhido pela Escola homenageará o agricultor brasileiro e sua atividade.

A ação figura como uma das mais ousadas iniciativas de comunicação já realizada no mercado agrícola, e faz parte da estratégia de negócio da BASF que é o foco no agricultor e em suas necessidades. A ideia é impactar diversos públicos, principalmente aqueles que não têm relação direta com o agronegócio. Nesse sentido, a empresa crê que a parceria com a Vila Isabel reconhecerá e valorizará o produtor rural, de uma forma criativa e inusitada. “Desde o lançamento da nossa campanha multimídia de valorização da agricultura nacional intitulada ‘O Planeta Faminto e a Agricultura Brasileira’, em meados de 2009, temos desenvolvido iniciativas que conscientizem a sociedade sobre a importância da agricultura e também sobre o papel do agricultor não somente para a economia do País, mas também para o dia a dia de todos nós. A parceria entre BASF e Vila Isabel no próximo carnaval é mais uma ação que dá consistência a nossa estratégia de negócio, e estamos muito motivados para ver o resultado de nosso esforço conjunto na avenida”, afirmou Maurício Russomanno, vice-presidente da Unidade de Proteção de Cultivos da BASF para o Brasil. 

Em evento realizado na capital fluminense, a BASF anunciou um projeto de neutralização de carbono de todo o carnaval da Unidos de Vila Isabel. Comprometida com o desenvolvimento sustentável em todas as suas iniciativas, a empresa - com apoio da Fundação Espaço ECO® (FEE®) - vislumbrou a oportunidade de materializar o tema na forma de um estudo das emissões geradas no processo de produção do carnaval como um todo, com posterior ação de compensação. A ideia é mensurar o volume de carbono gerado em toda a preparação do carnaval e do desfile, e implementar uma ação concreta de compensação por meio do plantio, manutenção e o monitoramento de árvores. 

O escopo do estudo, desenvolvido pela FEE®, considera o cálculo e a neutralização de gases de efeito estufa (GEE) referentes às emissões advindas da produção de fantasias, carros alegóricos e atividades nos barracões (incluindo mão de obra), além do trânsito de veículos e integrantes da Escola entre a Marquês de Sapucaí, a Cidade do Samba e alguns pontos da cidade do Rio de Janeiro. O estudo contemplará, ainda, as emissões relativas a todos os ensaios técnicos realizados pela Escola. As análises compreendem, dessa forma, desde o início das atividades de preparação do desfile 2013 (ainda em 2012) até a realização do desfile em si (em 12 de fevereiro próximo).  

Para isso estão sendo desenvolvidas análises baseadas nas metodologias ISO 14.040 e recomendadas pelo Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) sobre efeito estufa, nas quais são avaliados os impactos diretos e indiretos e parte do ciclo de vida dos produtos utilizados pela Vila Isabel na produção de seu carnaval. Este método avalia aspectos ambientais e impactos potenciais associados a um produto ou serviço, compreendendo etapas que vão desde a retirada de suas matérias-primas da natureza, passando pelo processo produtivo até a disposição final do produto, que também é conhecida como análise “do berço ao túmulo”. 

O plantio de mudas responsáveis pela neutralização do carbono será realizado nas propriedades de clientes da Unidade de Proteção de Cultivos da BASF. Vale ressaltar que, além do plantio, a neutralização compreenderá a manutenção e o monitoramento das áreas plantadas por dois anos. 

“Além de se tratar de uma iniciativa diferenciada no carnaval brasileiro, a ação de neutralização junto a Unidos de Vila Isabel possui diversas etapas e é bastante abrangente, já que considera desde a criação do primeiro adereço até o momento em que a Escola cruza a linha da dispersão na Sapucaí”, reforçou Maurício Russomanno. Ainda de acordo com o executivo o estudo consumirá, além de todos os esforços de coleta de dados, ao menos 120 horas dedicadas de especialistas da FEE®. Os dados serão calculados após o carnaval e apresentados à Vila Isabel para posterior implementação da ação de neutralização de carbono.

Para Wilson da Silva Alves, presidente da Unidos de Vila Isabel, a iniciativa vem a fortalecer os esforços da Escola às vésperas do carnaval 2013: “Nosso objetivo principal a cada carnaval é trazer para a avenida temáticas que sejam do interesse da sociedade como um todo e gerem conhecimento e conscientização. A neutralização das emissões do carnaval da Escola é mais um ingrediente que traremos para a avenida, que juntamente com o samba-enredo sobre a importância da agricultura brasileira, fará desse mais um grande ano para o carnaval da Vila Isabel“, afirmou.
 

Programa Mata Viva de Adequação e Educação Ambiental chega à marca de um milhão de mudas

Na ocasião, foi anunciada também a marca de um milhão de mudas plantadas por meio do Programa Mata Viva. Para marcar o acontecimento, foi apresentada uma muda simbólica de Jequitibá Rosa, espécie oriunda do bioma de Mata Atlântica e conhecida por sua longevidade. Além disso, é a mesma espécie da primeira muda plantada pelo Mata Viva. Esta muda simbólica será plantada no Complexo Químico da BASF em Guaratinguetá (SP), local onde o programa foi iniciado.  

Vale lembrar que o Mata Viva, em geral, se dá em parceria com organizações ligadas à atividade agrícola em importantes regiões produtoras do País. Nestes locais são desenvolvidas ações de adequação e educação ambiental junto a produtores e comunidades rurais. Os esforços de recuperação e restauração de áreas de preservação permanente (APP) e o plantio de mudas, contemplam a identificação, o mapeamento e a elaboração de diagnósticos das propriedades, auxiliando os produtores rurais no cumprimento da legislação. O programa já tem áreas de plantio nos estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Mato Grosso, nos quais estão contemplados os biomas de Mata Atlântica e Cerrado.

Além de um milhão de mudas, o programa já foi responsável por diagnosticar mais de 41 mil hectares de área em 144 propriedades rurais brasileiras, desde que suas ações tiveram início em 1984.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade