Guia Gessulli
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Insumo

Demanda aquecida eleva preços do DDG

Segundo levantamento da Scot Consultoria, o preço médio do DDG subiu 4,9% ante à primeira quinzena do mês e está 14,5% maior comparado à segunda quinzena de junho.

Redação
05-Ago-2020 10:43

O DDG (Dried Distillers Grains - Grãos Secos de Destilaria) e WDG (Wet Distillers Grain - Grãos Úmidos de Destilaria), ganharam espaço na nutrição animal. São uma alternativa de componente para dietas e uma opção para a redução dos custos. Além do uso em dietas para bovinos, esses coprodutos das usinas de etanol de milho também podem ser consumidos na alimentação de suínos, aves e peixes.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, a demanda está aquecida e os preços ficaram firmes na segunda quinzena de julho. O preço médio do DDG subiu 4,9% ante à primeira quinzena do mês e está 14,5% maior comparado à segunda quinzena de junho.

Nos últimos quinze dias o DDG foi comercializado entre R$840,00 e R$1,1 mil por tonelada, sem o frete, considerando os preços convertidos para 32% de proteína bruta (PB). A referência é para contratos celebrados agora para entrega a partir de setembro, no caso dos maiores volumes. Não há disponibilidade de DDG para a entrega imediata.

AveSui2021_dentro

Para WDG, a cotação é menor devido à concentração de água e menor tempo de armazenamento, no entanto, não existe disponibilidade para pronta entrega. Em função da baixa disponibilidade do coproduto úmido, são poucos os contratos celebrados, com entrega ao longo do segundo semestre.