AveSui2021
17-Ago-2020 09:34
Paraná

Curitiba ganha usina de geração fotovoltaica no Parque Barigui

A estrutura conta com 96 painéis fotovoltaicos com 340 watts de potência cada um

Começou a funcionar nesta semana uma nova miniusina de energia solar em Curitiba. Desta vez, a modalidade de geração ganha espaço no Complexo Imap Barigui, ao lado do Salão de Atos, no Parque Barigui. 

Com projeto técnico da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, o Instituto Municipal de Administração Pública (Imap) investiu R$ 101 mil na compra e instalação dos equipamentos. 

A estrutura conta com 96 painéis fotovoltaicos com 340 watts de potência cada um. Em conjunto, geram 32kWp (kilo-Watt-pico), energia suficiente para abastecer toda a iluminação, aparelhos de climatização e demais equipamentos instalados nas salas de eventos e no coworking público do local. 

“Esta usina vem a somar a diversas outras ações desenvolvidas na cidade. É um sistema de última geração, conectado e interligado à rede de energia local, garantindo eletricidade para uso e créditos na conta de energia”, avaliou o presidente do Imap, Alexandre Matschinske.

O retorno do investimento será possível em cerca de quatro anos, de acordo com o presidente do instituto. A redução mensal média projetada na conta de energia é de 90%, além dos créditos gerados pela injeção da energia gerada e não consumida na rede da concessionária de energia elétrica.

O sistema conta, ainda, com um inversor que faz a medição on-line e compensação de carga gerada com a rede local da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel). 

Revolução solar

Para a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Oliveira Dias, a iniciativa do Imap reforça as ações da Prefeitura de Curitiba na democratização da energia renovável na cidade, reconhecidas até mesmo pela rede de cidades C40, que afirmou que a capital paranaense estaria liderando uma revolução solar. 

Atualmente, a cidade conta com o programa Curitiba Mais Energia, que abrange a usina de geração fotovoltaica (solar) no Palácio 29 de Março, em operação desde 2019, financiada com recursos do Programa de Eficiência Energética da Copel, fiscalizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica. E também a Central Geradora Hidrelétrica no Parque Barigui, doação da Associação Brasileira de Pequenas Centrais Hidrelétricas (Abrapch), já em funcionamento. Uma estrutura semelhante será instalada na queda d´água do Parque São Lourenço.

Estão em fase de estudos e desenvolvimento dos projetos, com apoio da C40, as usinas dos telhados da Rodoferroviária de Curitiba, dos terminais de ônibus do Boqueirão, Santa Cândida e Pinheirinho e da prâmide solar no aterro desativado da Caximba. 

Participam do desenvolvimento do projeto a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, o Ippuc, a Urbs, a Secretaria Municipal de Finanças, a Secretaria de Planejamento e Administração, a Procuradoria-Geral do Município e a Assessoria de Relações Internacionais.

As informações são da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Redação
Deixe seu Recado