AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Investimento

Copel confirma investimentos de R$ 519 milhões na região Oeste do PR em 2022

Carro chefe é o Paraná Trifásico, que moderniza a rede elétrica no campo.  Também estão previstas novas subestações, linhas de distribuição e a ampliação do Rede Elétrica Inteligente

Redação, com informações AEN
10-Fev-2022 08:41

A Copel está investindo R$ 519 milhões, em 2022, em obras na região Oeste do Paraná. A maior parte desse montante é destinada ao programa Paraná Trifásico, que moderniza a rede elétrica no campo a fim de dar suporte ao desenvolvimento agropecuário. O programa receberá R$ 153 milhões para construir 1,6 mil quilômetro de novas redes em toda a região.

Os números foram apresentados nesta quarta-feira (09) pelo presidente da Copel, Daniel Slaviero, no Show Rural, em Cascavel, a produtores rurais da região. Ao lado do diretor-geral da Copel Distribuição, Maximiliano Orfali,  e do secretário da Agricultura e Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, ele falou sobre o plano de investimentos da companhia e apresentou novidades sobre geração distribuída, assunto bastante discutido na feira este ano.

Além do programa Paraná Trifásico, o plano de investimentos da Copel para este ano prevê a construção de novas subestações, linhas de distribuição e a ampliação do Programa Rede Elétrica Inteligente, maior iniciativa de smart grid da América Latina. Somente na região Oeste serão construídas sete novas subestações e 327 quilômetros de linhas de alta tensão, além da modernização da rede de energia com a instalação de 380 equipamentos de automação, 250 medidores inteligentes e 69 sistemas de autor-religação.

“Quando viemos aqui, em 2019, lançar o maior programa de investimentos da história da Copel, foi reflexo de uma diretriz do governo Ratinho Junior para apoiar o agronegócio. Por isso, o carro chefe desse investimento é o Paraná Trifásico. Comemoramos seis mil km no final do ano passado, em Medianeira, e até dezembro vamos fazer mais 10 mil km”, disse Slaviero.  

“Mas está faltando insumo. O programa que desenhamos em R$ 2,1 bilhões já está em R$ 2,7 bilhões. E, além disso, temos o Rede Elétrica Inteligente, que vai ser sentido quando tudo começar a ser operado remotamente. Melhorará o atendimento”, afirmou Slaviero.

NOVAS OBRAS – As novas obras do Paraná Trifásico no Oeste vão ser somadas aos R$ 163 milhões já investidos no programa na região. No Paraná, como um todo, o programa já aplicou R$ 757 milhões na construção de novas redes. Em 2022 a iniciativa vai investir mais R$ 450 milhões em todas as regiões do Estado.

“O Paraná Trifásico está sendo implementado com celeridade e eficiência. Ao todo, vamos construir 25 mil quilômetros de linhas no Estado, o que faz dele o maior programa do gênero no País”, explicou Slaviero. “Na prática, as novas redes representam energia de qualidade ao campo e infraestrutura para o desenvolvimento do agronegócio paranaense.”

“Os custos e intervalos para manutenção serão reduzidos com as novas redes trifásicas, que serão interligadas para garantir redundância no fornecimento de energia. Além disto, ela vai permitir que tecnologias avançadas sejam instaladas e integradas ao restante das redes da Copel”, ressaltou o diretor-geral da Copel Distribuição, Maximiliano Orfali.

PROGRAMA – Toda a espinha dorsal da rede de distribuição no campo está sendo trifaseada, substituindo a tecnologia monofásica existente. Além de garantir energia de mais qualidade e com maior segurança, o programa proporciona o acesso do produtor rural à rede trifásica a um custo muito inferior ao que hoje é pago. A Copel vai investir R$ 2,7 bilhões para alcançar todos os cantos do Paraná.

Com o Paraná Trifásico, a Copel melhora a qualidade no fornecimento de energia para o campo, renova seus ativos e garante mais segurança aos seus funcionários e à população. Os novos cabos com capa protetora isolante têm nível de resistência reforçada quando atingidos por galhos de árvores ou outros objetos.

As novas linhas têm conexões inteligentes com a central de monitoramento da rede, chamados de religadores automáticos. Esses equipamentos têm capacidade para identificar problemas e “abrem temporariamente” para passagem de eventuais curtos e evitar desligamentos, e religam a energia sem precisar de interferência humana.

Exportações de cargas em contêineres crescem 24% em janeiro no Porto de Paranaguá
Culturas que dependem da energia elétrica intensiva para a sua produção terão grande benefício, entre elas leite e derivados, suinocultura, avicultura, piscicultura e fumo, por exemplo, além de atividades como os poços artesianos. O Paraná é líder nacional em algumas delas, como avicultura e piscicultura.

INVESTIMENTO EM DISTRIBUIÇÃO – Em 2022, a Copel vai investir R$ 1,63 bilhão em obras de distribuição de energia no Paraná, o maior montante da história da Companhia. Além do Paraná Trifásico, são R$ 400 milhões na construção de novas linhas e subestações, R$ 300 milhões no Programa Rede Elétrica Inteligente, R$ 250 milhões no atendimento a consumidores e R$ 200 milhões no Programa Confiabilidade Total.

CADA CLIENTE IMPORTA – Com foco no atendimento aos clientes mais afetados por desligamentos, a Copel anunciou em dezembro de 2021 o Programa Cada Cliente Importa. A iniciativa prevê um pacote de ações focadas no consumidor final, como a contratação de mais equipes de eletricistas, elevando o número de profissionais em campo.

O programa pretende também aumentar em 30% o número de rotinas de inspeção e manutenção nas redes, totalizando 5,7 mil serviços, e aumentar em 50% a área de roçada. A expectativa é que, em 2022, a companhia conclua a roçada de 60 milhões de metros quadrados no entorno das redes.

O foco da Copel com esta iniciativa é ir atém das exigências regulatórias, já que os índices globais de qualidade vêm numa trajetória de mais de 30% de melhoria nos últimos anos. Neste programa, estão previstas ações para minimizar as interrupções individuais duradouras: de maneira proativa, a Copel lançará novos indicadores para monitorar e controlar os períodos de desabastecimento de energia elétrica individualmente, cliente por cliente. Para executar esta meta, a companhia conta com investimentos em tecnologia e novas ferramentas.

“Nos últimos três anos tivemos os piores eventos climáticos dos 67 anos de história da Copel. E, mesmo com todas as adversidades, a empresa cumpre todas as metas regulatórias da Aneel. Então queremos olhar além da média. Por isso lançamos o Programa Cada Cliente Importa. Para termos um olhar customizado, ver quais clientes ficam muitas horas sem energia”, finalizou o presidente da Copel.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade