AveSui2021
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Biomassa

Brasil coordena consórcio internacional para o desenvolvimento de bioprodutos à base de resíduos agrícolas

A participação brasileira é coordenada pelo pesquisador da Embrapa Agroenergia Silvio Vaz Jr., e conta ainda com pesquisadores da Embrapa Meio Ambiente e Agroindústria Tropical

Redação
26-Dez-2019 10:40

A utilização de resíduos das cadeias produtivas da cana-de-açúcar, beterraba e eucalipto na obtenção de bioprodutos de alto valor agregado é o foco do consórcio internacional GreenMol, aprovado na chamada ERANET-LAC 3 2017/2018 promovida pela União Europeia e cujas atividades tiveram início este ano. A participação brasileira é coordenada pelo pesquisador da Embrapa Agroenergia Silvio Vaz Jr., e conta ainda com pesquisadores da Embrapa Meio Ambiente e Agroindústria Tropical. O consórcio de pesquisa é formado por quatro subprojetos executados em instituições de PD&I no Brasil, Alemanha, Uruguai e Polônia. 

“Bioprodutos como o ácido levulínico derivado da celulose, ésteres de ácido graxo derivados da xilose e nano e micropartículas de suporte e/ou encapsulamento de lignina para liberação controlada e/ou lenta podem ser explorados a partir de biomassa de resíduos agroindustriais”, explica o pesquisador Silvio Jr.

“Na Embrapa Agroenergia, estamos finalizando as análises químicas da lignina kraft e dando início ao desenvolvimento de um suporte de liberação controlada de agroquímico à base desta lignina”, complementa. A lignina é uma macromolécula tridimensional amorfa encontrada nas plantas terrestres, associada à celulose na parede celular cuja função é de conferir rigidez, impermeabilidade e resistência a ataques microbiológicos e mecânicos aos tecidos vegetais. 

Segundo o pesquisador, há nesse tipo de resíduo da indústria de celulose e papel um grande potencial de mercado a ser aproveitado, com um forte viés de sustentabilidade. As demais unidades da Embrapa estão realizando a avaliação do ciclo de vida e o estudo da dinâmica dos componentes de resíduos agroindustriais no meio ambiente, com o objetivo de comprovar a sustentabilidade dos produtos e processos a serem desenvolvidos.

AveSui2021_dentro

O uso de biomassas de resíduos faz parte da busca da ciência por processo sustentáveis e matérias-primas renováveis, que por sua vez fazem parte da lógica da chamada “bioeconomia”, modelo de economia para o século XXI centrado na exploração sustentável de recursos biológicos.

Além do Brasil, o consórcio reúne instituições de alto nível da Alemanha (Centro de Pesquisas Jülich), do Uruguai (Universidade de La República) e da Polônia (Universidade Tecnológica da Cracóvia) e é financiado com recursos da União Europeia, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e das agências alemã, uruguaia e polonesa de apoio à C&T.

A ideia é atender os mercados de cana-de-açúcar na América Latina, açúcar de beterraba na Europa e papel e celulose em ambas as regiões. “O bagaço de cana é uma importante biomassa lignocelulósica para biorrefinarias na América Latina devido à grande produção de cana-de-açúcar; o bagaço de beterraba é importante devido à produção de açúcar de beterraba na Europa e o material lenhoso de eucalipto é importante para ambas as regiões devido à indústria de papel e celulose”, explica o pesquisador.

O consórcio internacional GreenMol se propõe a preencher as lacunas científicas e tecnológicas para desenvolver e habilitar novos bioprodutos ao mercado. Até 2022, serão investidos aproximadamente 350 mil Euros (R$ 1,6 milhão) no desenvolvimento de moléculas verdes para os mercados químico e agrícola.  

Assuntos do Momento

Eólica inicia ano liderando expansão do setor elétrico
22 de Fevereiro de 2021
Energia Limpa

Eólica inicia ano liderando expansão do setor elétrico

Geração por meio dos ventos soma 155 MW de um total de 191 MW no acumulado dos primeiros 45 dias de 2021

Com investimentos em energias alternativas, Brasil pode reduzir em 28 toneladas a emissão de CO² até 2025
22 de Fevereiro de 2021
Energia alternativa

Com investimentos em energias alternativas, Brasil pode reduzir em 28 toneladas a emissão de CO² até 2025

World Economic Forum e Accenture ouviram mais de 25 empresas de serviços públicos globais e trazem análise específica para o País

AveSui2021_dentro
ENGIE ultrapassa 1 GW em eólica com início da operação comercial do Conjunto Eólico Campo Largo 2
24 de Fevereiro de 2021
Eólica

ENGIE ultrapassa 1 GW em eólica com início da operação comercial do Conjunto Eólico Campo Largo 2

A unidade é formada por 86 aerogeradores e possui capacidade instalada de 361,2 MW

Projeto prevê a instalação de 15 usinas solares em Minas Gerais
25 de Fevereiro de 2021
Investimento

Projeto prevê a instalação de 15 usinas solares em Minas Gerais

Startup capixaba CleanClic, plataforma de compensação de energia renovável, integra um projeto de R$ 110 milhões para a construção de 15 usinas fotovoltaicas compartilhadas e uma central hidrelétrica no Norte do Estado.

Energia solar: novo sistema dispensa conexão com a rede elétrica
22 de Fevereiro de 2021
Inovação

Energia solar: novo sistema dispensa conexão com a rede elétrica

A tecnologia contém uma bateria de lítio para armazenar energia solar nos períodos em que não há geração de eletricidade
 

Embrapa realiza webinar sobre o uso de animais mortos  para produção de biogás
25 de Fevereiro de 2021
Biocombustível

Embrapa realiza webinar sobre o uso de animais mortos para produção de biogás

A realização do webinar é da Embrapa Suínos e Aves, com apoio do 3º Fórum Sul Brasileiro de Biogás e Biometano.

Mais assuntos do momento