AveSui
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Desenvolvimento

Brasil avança em ranking mundial de energia limpa

Avanço da geração eólica no Brasil é registrado nas regiões Sul e Nordeste, principalmente

Redação com informações de Jornal do Comércio
14-Set-2021 16:45 - Atualizado em 14/09/2021 16:58

Ao mesmo tempo em que enfrenta uma crise energética este ano por causa do baixo volume de água nos reservatórios que abastecem as usinas hidrelétricas, o Brasil recebe boas notícias no setor de energia elétrica. O país subiu quatro posições em um ranking mundial sobre energia renovável e ocupa o 11º lugar em uma lista de 40 países, sendo o líder na América Latina.

As informações constam do Índice de Atratividade de Países em Energia Renovável (Recai, na sigla em inglês), elaborado pela consultoria EY. Produzido desde 2003, o Recai classifica os 40 principais mercados do mundo em relação à atratividade de seus investimentos e oportunidades de implantação de energia renovável, como eólica e solar.

De acordo com projeções do Operador Nacional do Sistema (ONS), do governo federal, as duas fontes vão aumentar sua participação na matriz energética nacional e reduzir a dependência de grandes hidrelétricas. Pelos cálculos do ONS, em 2025, cerca de 15% da matriz será eólica e solar. Hoje, esse índice (eólica solar) está em torno de 11%.

"O Brasil tem uma dádiva natural que é a possibilidade de diversificação de suas fontes energéticas. Temos sol em abundância, água, vento, petróleo e biomassa", explica André Flávio, diretor-executivo do setor de energia da EY. "Por outro lado, como são muitas fontes, não conseguimos estruturar para saber o ponto forte de cada uma delas", completa.

Segundo o especialista, é preciso diferenciar fontes renováveis das fontes alternativas renováveis. No primeiro grupo estão incluídas as grandes hidrelétricas, que são consideradas fontes renováveis. Já as fontes alternativas renováveis são a eólica, a solar, as pequenas hidrelétricas e a biomassa (queima de bagaço de cana, por exemplo).

Alguns fatores, diz André Flávio, explicam a melhoria de posição do Brasil no Recai. Entre eles, maior incentivo público e melhoria nas regras referentes ao setor de fontes alternativas renováveis, câmbio favorável para investimentos internacionais e demanda interna por fontes alternativas.

Em uma época em que o conceito ESG (governança ambiental, social e corporativa) avança no mundo corporativo, as empresas também valorizam, cada vez mais, o uso de energias limpas em seus negócios.

O estudo destaca o avanço da energia eólica no Brasil, cujas condições naturais favorecem a implantação de usinas eólicas em boa parte da costa territorial e projetos offshore (fora da costa, como turbinas instaladas no mar).

"O potencial do Brasil é enorme. Para se ter uma ideia, ainda não exploramos nada da eólica offshore no País", explica Flávio. Segundo ele, um dos grandes desafios para os próximos anos é tornar o preço da energia alternativa renovável acessível ao consumidor final, de tal maneira que compense a substituição de outras fontes tradicionais em uso.

No ranking geral do levantamento, Estados Unidos e China seguem nas primeiras colocações globais. Já o Leste Asiático, assim como o Brasil, também desponta como destino com alto potencial para investimentos. À frente do Brasil estão países como Reino Unido (4º lugar no ranking geral da EY), França (5º), Austrália (6º) e Alemanha (7º). O mercado de energia renovável registrou, no ano passado, investimentos de mais de US$ 300 bilhões de dólares.

 

Assuntos do Momento

Maior produtor do país na área, RN vai estocar energia eólica
24 de Setembro de 2021
Bioenergia

Maior produtor do país na área, RN vai estocar energia eólica

Empresa EV Brasil assinou protocolo com governo do estado para instalar primeiro projeto do tipo no país, nesta terça-feira (21). Investimento inicial é de R$ 12,5 milhões.

Na ONU, Bolsonaro destaca compromisso com transição energética e matriz brasileira
24 de Setembro de 2021
Compromisso

Na ONU, Bolsonaro destaca compromisso com transição energética e matriz brasileira

Presidente citou compromisso com dois pactos, um para reduzir emissões de carbono e outro para financiar o setor de hidrogênio, e disse que país é destaque na implementação de soluções energéticas sustentáveis

Alta do gás pode abalar transição verde na UE
23 de Setembro de 2021
Meio Ambiente

Alta do gás pode abalar transição verde na UE

Há o temor de que a crise energética tenha impacto sobre a crença no investimento em fontes mais limpas

Água da louça para regar plantação: ciência dá alternativas para agricultura sobreviver com seca e crise hídrica
24 de Setembro de 2021
Alternativa

Água da louça para regar plantação: ciência dá alternativas para agricultura sobreviver com seca e crise hídrica

Bioágua é feita a partir da filtragem das chamadas águas cinzas. Combinação entre diferentes fontes é a solução para pesquisadores, que também apostam no uso da água subterrânea.

BRF conquista certificado de Zero Waste para fábrica de perus na Turquia
24 de Setembro de 2021
Certificado

BRF conquista certificado de Zero Waste para fábrica de perus na Turquia

Documento atesta conformidade da Companhia ao Regulamento turco de Resíduos Zero

Alemanha deve acabar com uso de óleo de palma em biocombustíveis a partir de 2023
24 de Setembro de 2021
Biocombustível

Alemanha deve acabar com uso de óleo de palma em biocombustíveis a partir de 2023

Matéria-prima foi classificada pelo bloco como fator que resulta em desmatamento excessivo e não pode mais ser considerada um combustível renovável para transporte.

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade