AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Biogás

Biogás terá fundo garantidor para novos projetos

Abiogás lançou edital para escolha do gestor do fundo, que, na fase inicial, será de R$ 300 milhões

Redação com informações de Poder360
04-Fev-2022 14:19

A ABiogás (Associação Brasileira do Biogás) e o Laboratório Global de Inovação em Mudanças Climáticas lançaram, nesta 5ª feira (3.fev.2022), edital para a seleção de gestor de um fundo garantidor para projetos de geração de energia a biogás e biometano. Os empreendimentos de até 10 MW terão prioridade. O biogás se origina a partir de resíduos de matéria orgânica.

A ideia é atrair investimentos privados para essa fonte renovável de energia. Na fase inicial, R$ 300 milhões serão destinados a 16 projetos com potência total de 29 MW.

Segundo o vice-presidente da ABiogás, Gabriel Kropsch, o Brasil pode produzir mais de 30 milhões de metros cúbicos de biogás por dia. Durante o webinar de lançamento do edital para a escolha da entidade gestora do fundo, ele afirmou que o biogás pode ser usado para geração de eletricidade, para a produção de biocombustível, como o biometano, e também para a geração de calor.

“Apesar de ainda ser um mercado nascente no Brasil, já está em plena atuação. Temos mais de 600 plantas de biogás em produção no Brasil. O problema é que a gente aproveita pouco da nossa capacidade de produção. Hoje, temos uma produção de 500 mil metros cúbicos por dia, mas com o potencial atual, considerando apenas a geração de biogás, teríamos uma produção superior a 30 milhões de metros cúbicos por dia. Isso é metade do consumo de gás natural do Brasil“, disse Kropsch.

Segundo a Abiogás, atualmente, a maior concentração de energia gerada a biogás é no mercado livre, com cerca de 200 MW de potência instalada. Na geração distribuída, são apenas 70 MW.

Entre os empreendimentos de geração de energia elétrica estão os que processam resíduos sólidos urbanos, ou seja, que transformam lixo em energia. Em novembro, o Poder360 mostrou que essa fonte representa apenas 0,1% da matriz energética brasileira e carece de incentivos para avançar no país.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade