AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
P&D

Bahia tem primeiro estádio com geração solar

Valor Econômico
02-Abr-2012 10:52 - Atualizado em 20/04/2016 14:43

Sistema de placas fotovoltaicas garantirá a autossuficiência energética para o estádio do Pituaçu, em Salvador, que terá capacidade para gerar 630 MWh por ano.Em uma interpretação livre do jargão futebolístico, é razoável supor que o termo "caldeirão" foi cunhado para definir, em uma palavra, o potencial de geração de calor e energia de um estádio abarrotado. Quase todo torcedor brasileiro se orgulha de seu alçapão, seja ele amplo ou modesto, próprio, alugado ou concedido. Desde ontem, porém, somente os fãs do tradicional Esporte Clube Bahia poderão dizer que tiveram o caldeirão promovido a usina, literalmente.

Está em fase final de testes a operação da primeira arena autossuficiente em energia elétrica da América Latina. O projeto foi desenvolvido pela Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) no Estádio Governador Roberto Santos, mais conhecido como Pituaçu. Localizada no bairro de mesmo nome, no norte de Salvador, a arena recebeu R$ 5,5 milhões em investimentos para a instalação de 1,7 mil módulos de painéis de captação de raios solares, que poderão gerar até 630 MWh de energia por ano.

O volume é suficiente para suprir toda necessidade do estádio, que passou a ser a casa do "Tricolor de Aço" pouco mais de um ano após a interdição da Fonte Nova, em 2007. De acordo com a Coelba, a arena consome atualmente algo em torno de 360 MWh por ano. A energia excedente será utilizada por repartições do governo baiano, que entrou com 30% do investimento. A maior parte do desembolso ficou a cargo do grupo Neoenergia, controlador da Coelba, que está desenvolvendo um projeto semelhante em Pernambuco.

Os últimos testes no sistema foram realizados nas últimas semanas de março, sob um calor de mais de 30 graus. Diferente do que se possa pensar, a temperatura não é primordial para a geração de eletricidade. Pelo contrário, pode até atrapalhar. "O essencial é a incidência de luz (radiação). Alguns lugares muito quentes, como a região amazônica, não têm tanto potencial de geração por conta da grande nebulosidade", explicou Daniel Sarmento, engenheiro responsável pela unidade de eficiência energética da Neoenergia.

Os painéis solares ocupam uma área total de 6 mil m2, distribuídos em diversas áreas do estádio, como as coberturas das arquibancadas, dos vestiários e de parte do estacionamento. Pela impossibilidade técnica de ser armazenada, a energia solar gerada durante o dia é despachada automaticamente para a rede de distribuição da Coelba, através das três subestações instaladas em Pituaçu.

A autossuficiência não significa, contudo, que o estádio utilize a mesma energia que gera. "Trata-se de uma compensação. Ele joga a energia na rede e depois recebe de volta, sem custo", explicou Sarmento. De acordo com a Coelba, o governo baiano vai economizar cerca de R$ 120 mil anuais referentes à conta de luz da arena.

Pituaçu não receberá jogos da Copa do Mundo de 2014, mas é candidato a centro de treinamento. Palco baiano dos jogos do Mundial, a Arena Fonte Nova não apresenta as condições de estrutura ideais para a instalação dos painéis de energia solar. Já a Arena Pernambuco, erguida pela Odebrecht em São Lourenço da Mata, no Grande Recife, receberá R$ 13 milhões para geração solar. Quando for inaugurado - a previsão é início de 2013 -, o estádio estará gerando até 1.500 MWh por ano. Outros estádios que estão sendo construídos ou reformados em função da Copa, como o Maracanã, no Rio, e o do Corinthians, em São Paulo, também adotarão a energia solar

Na avaliação do presidente do grupo Neoenergia, Marcelo Corrêa, o aproveitamento de estádios de futebol como usinas de geração de energia a partir dos raios do sol pode ajudar a popularizar no Brasil esta fonte energética complementar. Ele ressalta, no entanto, que sua utilização em grande escala ainda é uma realidade distante. "A gente investe especialmente para a absorção de know how nesta área", afirmou o executivo.

O grande entrave da energia solar no país ainda é o preço, muito superior ao das principais fontes. A produtividade dos parques solares - medida pela capacidade de geração por m2 de painéis - ainda tem de avançar bastante para tornar o sistema competitivo perante as demais fontes.

Além das duas arenas, a Neoenergia está instalando painéis solares em uma base da Aeronáutica na Ilha de Fernando de Noronha (PE), um investimento de R$ 5 milhões. A companhia fechou ainda um contrato com a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) para a geração de energia a partir de resíduos de esgoto. A operação está em fase embrionária.

Assuntos do Momento

Usina de biogás em Macaé transforma lixo em energia
30 de Junho de 2022
Energia Limpa

Usina de biogás em Macaé transforma lixo em energia

Macaé converte o gás metano, tóxico para a atmosfera, em energia limpa. Inauguração da usina faz parte do Mês do Meio Ambiente

Biogás pode ser a solução energética limpa e adequada para a Amazônia
04 de Julho de 2022
Autossuficiência

Biogás pode ser a solução energética limpa e adequada para a Amazônia

Geração de energia por esse tipo de recurso, que pode ser obtida por diferentes matérias-primas, conta com financiamento garantido pelo Banco da Amazônia, podendo atender empresas e comunidades

Bunge Bioenergia abre processo seletivo em cinco estados brasileiros
04 de Julho de 2022
Oportunidades

Bunge Bioenergia abre processo seletivo em cinco estados brasileiros

Há chances para estudantes de diversas áreas interessados nos Programas de Estágio ou Jovem Aprendiz da empresa

Energia solar é um dos mercados mais promissores entre as energias renováveis
04 de Julho de 2022
Solar

Energia solar é um dos mercados mais promissores entre as energias renováveis

Facilidades de financiamento a partir de bancos e cooperativas são vantagens estratégicas que ampliam potencial de crescimento

Vestas fornecerá turbinas eólicas para novo parque eólico em Pernambuco
04 de Julho de 2022
Eólica

Vestas fornecerá turbinas eólicas para novo parque eólico em Pernambuco

O novo empreendimento de energia eólica na região de Pernambuco contará com 19 turbinas V150-4,5MW que a Vestas fornecerá e instalará na região

Países da União Europeia concordam em encerrar venda de novos carros a combustão até 2035
30 de Junho de 2022
Carbono Neutro

Países da União Europeia concordam em encerrar venda de novos carros a combustão até 2035

A proposta da Comissão Europeia deve contribuir para alcançar os objetivos climáticos do continente, em particular a neutralidade carbônica no horizonte de 2050

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade