AveSui
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Descarbonização

Acordo para uso de combustível sustentável

Acordo para SAF é o primeiro da Delta na América Latina e vai atender a viagens corporativas do BTG Pactual

Redação
22-Nov-2021 09:30

A Delta Air Lines, primeira companhia aérea neutra em carbono em nível global, e o BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina, anunciam acordo para uso de combustível de aviação sustentável (Sustainable Aviation Fuel - SAF) em viagens corporativas - marcando a primeira parceria da Delta para uso do SAF na América Latina.

O acordo representará uma redução de emissões de aproximadamente 30 toneladas de CO2, em comparação com o uso do combustível de aviação convencional, passo importante para o contínuo avanço no compromisso do BTG Pactual em neutralizar suas emissões. As viagens aéreas do banco foram responsáveis ??por 35% das emissões da empresa em 2019 e por 15% em 2020.

A parceria reforça o compromisso de ambas as empresas em liderar e contribuir para um futuro mais sustentável, ao ajudar a reduzir emissões decorrentes de voos realizados por clientes corporativos. O acordo também é importante para criar demanda para o uso do SAF, contribuindo para reduzir a dependência do setor de aviação do combustível convencional. A Delta está cumprindo seu compromisso de tornar suas operações aéreas neutras em carbono a partir de março de 2020.

"Agradecemos ao BTG Pactual por ser o primeiro parceiro a firmar um acordo para combustível de aviação sustentável na América Latina. Sua equipe de viagens, junto com a equipe de vendas da Delta no Brasil, defendeu este acordo como parte de seu compromisso com um futuro mais sustentável", disse Luciano Macagno, Diretor Executivo da Delta para a América Latina, Caribe e Sul da Flórida.

"Incentivamos mais empresas brasileiras e latino-americanas a se juntarem a nós nessa jornada em direção a um mundo em que possamos viajar de forma sustentável e em que todos possam fazer um pouco mais pelo meio ambiente e pela comunidade onde vivem e à qual atendem", continuou.

Para Rafaella Dortas, diretora de ESG do BTG Pactual, a parceria com a Delta é uma ação inovadora no gerenciamento das emissões de carbono, e se soma às diversas iniciativas de sustentabilidade do banco. "Em 2019 e 2020, compensamos 100% das emissões diretas de carbono e emissões indiretas de viagens aéreas, transporte de funcionários e resíduos gerados em nossas operações. Em 2020, mais um grande passo foi dado para compensar a pegada de carbono, incluindo também a compensação pela emissão de escritórios de agentes autônomos ligados ao BTG", disse Rafaella.

"O Banco está expandindo consistentemente as iniciativas de sustentabilidade em toda a cadeia de valor, incluindo nossos parceiros em viagens corporativas", disse Gabriela Oliveira, Diretora Global de Viagens do BTG Pactual.

Este acordo é mais uma iniciativa do BTG Pactual dentro de sua agenda ESG. No ano passado, o banco criou a área de ESG e Investimento de Impacto, que promove a criação de produtos e serviços que combinem retorno financeiro com impacto socioambiental positivo, e entrou no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3), que reúne 39 empresas listadas na bolsa de valores com melhor desempenho em sustentabilidade.

O BTG também faz parte do CDP Brasil - Índice de Resiliência do Clima (ICDPR-70), que mede o desempenho das ações de empresas com práticas diferenciadas de gestão do clima, em linha com tendências globais e recomendações de acordos internacionais. O índice busca quantificar o desempenho financeiro das organizações em face das mudanças climáticas.

Em 2021, o banco ingressou na Nasdaq Sustainable Bond Network (SBNS), banco de dados da bolsa de valores dos Estados Unidos que reúne informações sobre as principais emissões de títulos sustentáveis??em todo o mundo.

Produzido a partir do refinamento de substâncias ou resíduos orgânicos, como óleo de cozinha usado e resíduos recicláveis, o SAF é um elemento importante para reduzir as emissões de carbono em viagens aéreas, em comparação com o combustível tradicional. O SAF pode reduzir as emissões de carbono em até 80% em comparação com o combustível de aviação à base de petróleo, mas ainda não é produzido em escala suficiente para atender à demanda por viagens aéreas, com custo superior em três a cinco vezes do que o combustível convencional.

Assuntos do Momento

Empresa de alimentos investe R$ 150 milhões em usina de geração de energia com biomassa
01 de Dezembro de 2021
Debêntures verdes

Empresa de alimentos investe R$ 150 milhões em usina de geração de energia com biomassa

Unidade vai gerar energia térmica a partir da palha do arroz; empresa criou uma nova subsidiária, a Camil Energia Renovável

Mercado de startups no Brasil cresce quase 30% no setor de energia
03 de Dezembro de 2021
Expansão

Mercado de startups no Brasil cresce quase 30% no setor de energia

Amazonas, Ceará, Distrito Federal, São Paulo e Santa Catarina são os Estados com mais startups voltadas ao setor de energia no país

ABiogás anuncia certificado de biometano e destaca a inauguração de 45 novas usinas em 2021
29 de Novembro de 2021
Descarbonizar

ABiogás anuncia certificado de biometano e destaca a inauguração de 45 novas usinas em 2021

Outro destaque foi a apresentação do Fundo Garantidor do Biogás, primeiro fundo com foco ambiental no Brasil, lançado em setembro pelo The Lab junto com a ABiogás

Relator propõe repasse de 80% dos Créditos de Descarbonização a produtor de biomassa
02 de Dezembro de 2021
Reivindicação

Relator propõe repasse de 80% dos Créditos de Descarbonização a produtor de biomassa

Deputado José Mário Schreiner (DEM-GO) também propõe que produtores rurais tenham o mesmo regime tributário dos produtores de biocombustível

Estudo da CCEE revela que estado de São Paulo tem mais de 17,5 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para o mercado livre de energia
30 de Novembro de 2021
Energia Renovável

Estudo da CCEE revela que estado de São Paulo tem mais de 17,5 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para o mercado livre de energia

São empresas de grande e médio porte como indústrias e shoppings que ainda são abastecidas pelo mercado regulado e que hoje possuem, sozinhas ou em comunhão, carga superior a 500 kW

Disponible en español Disponible en español
Energias renováveis batem recorde mundial, mas ainda não são suficientes
01 de Dezembro de 2021
Carbono Neutro

Energias renováveis batem recorde mundial, mas ainda não são suficientes

Um estudo divulgado pela Agência Internacional de Energia indica que, apesar do recorde batido, o ritmo ainda é insuficiente para colocar o planeta no caminho da neutralidade de carbono

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade