AveSui
AveSui Biocombustível Bioenergia Biomassa América Latina Comentário B&B Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Geral Insumos Meio Ambiente Pesquisa e Desenvolvimento Sustentabilidade Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Austrália

Acordo de US$ 851 milhões é assinado para reduzir as emissões de carbono na Austrália

"Este acordo vai reduzir as contas de luz para os sul-australianos e criar empregos na indústria de energias renováveis ??de rápido crescimento", relata Marshall.

Redação com informações de Reuters
19-Abr-2021 15:23 - Atualizado em 22/04/2021 11:22

O governo federal da Austrália e o estado da Austrália do Sul assinaram um acordo de A $ 1,1 bilhão ($ 851 milhões) para financiar medidas destinadas a tornar a energia mais acessível e ajudar a reduzir as emissões de carbono.

A Austrália disse em dezembro que poderia superar sua meta de redução das emissões de carbono do acordo climático de Paris até 2030, sem contar os créditos de superação de suas metas em pactos climáticos anteriores, marcando uma mudança na política para um dos maiores emissores per capita do mundo.

Pelo acordo, a Austrália do Sul fornecerá A $ 422 milhões e o governo federal gastará A $ 660 milhões, dos quais A $ 400 milhões serão gastos em "áreas prioritárias", como armazenamento de carbono, veículos elétricos, hidrogênio e outros projetos que visam reduzir as emissões .

"Famílias e empresas precisam de energia acessível e confiável. Isso é o que reduz os preços e cria empregos", disse o primeiro-ministro Scott Morrison durante uma entrevista coletiva durante o anúncio do acordo.

"Os australianos também querem garantir que estamos fazendo tudo o que podemos com responsabilidade para combater as mudanças climáticas."

O primeiro-ministro da Austrália do Sul, Steven Marshall, disse que o negócio também ajudará a fornecer a infraestrutura necessária para carros elétricos e a gerar novas receitas para os agricultores com as reduções de carbono.

"Este acordo vai reduzir as contas de luz para os sul-australianos e criar empregos na indústria de energias renováveis ??de rápido crescimento", disse Marshall.

Mas o acordo foi criticado por Mark Butler, que trabalhou como ministro das mudanças climáticas em um governo trabalhista anterior.

"O que obtemos são, pouco a pouco, pequenos anúncios em estados específicos, em vez de uma política nacional abrangente que sustentará a certeza do investidor para fazer a transição do futuro energético da Austrália", disse Butler, atualmente ministro sombra da saúde.

Assuntos do Momento

Empresa de alimentos investe R$ 150 milhões em usina de geração de energia com biomassa
01 de Dezembro de 2021
Debêntures verdes

Empresa de alimentos investe R$ 150 milhões em usina de geração de energia com biomassa

Unidade vai gerar energia térmica a partir da palha do arroz; empresa criou uma nova subsidiária, a Camil Energia Renovável

Mercado de startups no Brasil cresce quase 30% no setor de energia
03 de Dezembro de 2021
Expansão

Mercado de startups no Brasil cresce quase 30% no setor de energia

Amazonas, Ceará, Distrito Federal, São Paulo e Santa Catarina são os Estados com mais startups voltadas ao setor de energia no país

ABiogás anuncia certificado de biometano e destaca a inauguração de 45 novas usinas em 2021
29 de Novembro de 2021
Descarbonizar

ABiogás anuncia certificado de biometano e destaca a inauguração de 45 novas usinas em 2021

Outro destaque foi a apresentação do Fundo Garantidor do Biogás, primeiro fundo com foco ambiental no Brasil, lançado em setembro pelo The Lab junto com a ABiogás

Relator propõe repasse de 80% dos Créditos de Descarbonização a produtor de biomassa
02 de Dezembro de 2021
Reivindicação

Relator propõe repasse de 80% dos Créditos de Descarbonização a produtor de biomassa

Deputado José Mário Schreiner (DEM-GO) também propõe que produtores rurais tenham o mesmo regime tributário dos produtores de biocombustível

Estudo da CCEE revela que estado de São Paulo tem mais de 17,5 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para o mercado livre de energia
30 de Novembro de 2021
Energia Renovável

Estudo da CCEE revela que estado de São Paulo tem mais de 17,5 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para o mercado livre de energia

São empresas de grande e médio porte como indústrias e shoppings que ainda são abastecidas pelo mercado regulado e que hoje possuem, sozinhas ou em comunhão, carga superior a 500 kW

Disponible en español Disponible en español
Energias renováveis batem recorde mundial, mas ainda não são suficientes
01 de Dezembro de 2021
Carbono Neutro

Energias renováveis batem recorde mundial, mas ainda não são suficientes

Um estudo divulgado pela Agência Internacional de Energia indica que, apesar do recorde batido, o ritmo ainda é insuficiente para colocar o planeta no caminho da neutralidade de carbono

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade